Mundo entra em pânico com 2,4 milhões de casos de coronavírus

“Presidente Trump, o que está acontecendo? O gato comeu sua língua?”, questionou o prefeito de NY de Blasio durante sua coletiva de imprensa diária sobre o coronavírus.
O mundo registra 2.400.970 casos confirmados de coronavírus e 164.998 mortes em 210 países, informa neste domingo (19) a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Nesse cemitério mundial, o Brasil contribuiu 2.462 mortes e tem 38.654 casos de Covid-19 confirmados, diz o Ministério da Saúde.

Porém, a tragédia humana do coronavírus ultrapassa os números e se transforma numa miséria humana –a jugar pelo comportamento de alguns presidentes de nações, a exemplo de Donald Trump, nos Estados Unidos, e Jair Bolsonaro, no Brasil.

A ideologização do coronavírus levou o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, a perguntar neste domingo (19) se Trump gostaria de ver a cidade ‘cair morta’ pela falta de apoio do governo federal.

A cidade de Nova York tem 10.022 mortos por coronavírus (covid-19), segundo as autoridades sanitárias americanas.

É por isso que o prefeito Bill de Blasio continuou a pedir hoje a Trump que direcionasse o financiamento federal –desesperadamente necessário– para as cidades americanas e criticou o silêncio do presidente sobre o assunto.

“Presidente Trump, o que está acontecendo? O gato comeu sua língua?”, questionou de Blasio durante sua coletiva de imprensa diária.

LEIA TAMBÉM
No Rio, Crivella publica decreto que obriga uso de máscara

Bolsonaristas agridem cidadãos e imprensa em Porto Alegre; assista

Aldeias cancelam ações do Dia do Índio para evitar aglomerações, enquanto Bolsonaro prega fim do isolamento social

“Você geralmente é realmente falador. Você geralmente tem uma opinião sobre tudo. Como você não tem uma opinião sobre a ajuda às cidades e estados americanos?”, indagou.

O prefeito nova-iorquino comparou a falta de resposta do presidente Trump ao déficit financeiro que a cidade de Nova York enfrenta, em particular, com a demissão do presidente Gerald Ford da cidade durante a crise fiscal da década de 1970.

O prefeito anunciou no início da semana que a cidade de Nova York teria que cortar mais de US$ 2 bilhões em serviços municipais durante o próximo ano.

“Havia a famosa capa do Daily News que dizia ‘Ford to City: Drop Dead’ [Forde para a cidade: cair morto”, disse de Blasio. “Então, minha pergunta é, Sr. Trump, Sr. Presidente, você vai salvar a cidade de Nova York ou está dizendo para a cidade de Nova York cair morta? Qual é?”, provocou.

“Você está deixando de proteger as pessoas com quem cresceu”, acrescentou Blasio.

A capa do Daily News mencionada por Blasio foi impressa em resposta a um discurso proferido pelo presidente Ford em outubro de 1975, no qual ele disse que vetaria qualquer projeto de lei federal que impediria a falência da cidade de Nova York.

As declarações de Blasio no domingo representaram um aumento significativo de sua retórica, mesmo quando ele continuava pedindo ao presidente que interceda pessoalmente para garantir que todas as cidades americanas recebam o financiamento federal de que tanto precisam.

De Blasio disse no sábado, durante uma entrevista na MSNBC, que havia conversado com o prefeito republicano de Miami, Francis X. Suarez, e o prefeito democrata de Denver, Michael Hancock, e que os dois líderes disseram que o surto foi devastador para seus orçamentos.

“Se as cidades não podem funcionar, como você recupera nacionalmente?”, pergunta de Blasio.

Com informações do New York Times