MP de Bolsonaro vai confiscar 100% dos salários dos trabalhadores com carteira assinada, denuncia Freixo

O deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) denunciou na noite desta quarta-feira (1º) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) irá editar uma medida provisória, amanhã, autorizando o corte de 100% dos salários dos trabalhadores com carteira assinada por dois meses.

Pelo Twitter, o parlamentar do PSOL garantiu que a nova MP da Morte será publicada amanhã.

“Nós vamos derrubar mais essa covardia”, prometeu Freixo.

A medida provisória que vai permitir a suspensão de contratos de trabalho por até 60 dias ou a redução de salários e jornadas por até 90 dias.

Na semana passada, o Blog do Esmael entrevistou o advogado trabalhista Sandro Lunard, professor da UFPR (Universidade Federal do Paraná), que havia adiantado essa MP da Morte estava sendo preparada por Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes (Economia).

A MP de Bolsonaro prevê, caso o contrato for suspenso, o trabalhador não receberá nenhum salário, mas terá assegurado o seguro-desemprego (que não é salário).

A medida ainda estipula que a empresa, se tem receita bruta anual maior que R$ 4,8 milhões, continua pagando 30% do salário ao funcionário, e o governo paga 70% do seguro-desemprego.

LEIA TAMBÉM
Coronavírus: Coveiros de São Paulo ameaçam entrar em greve

Eleições 2020: A vez dos profissionais da saúde na política; assista ao vídeo

Globo perde embate para Bolsonaro sobre isolamento para conter coronavírus