Moro #FechadoComBolsolnaro em Curitiba

O ex-presidenciável pelo PSOL, Guilherme Boulos, ironizou a hashtag no Twitter levantada nesta segunda-feira (27) pelos robôs bolsonaristas.

Para o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) errou no comando dado para os robôs do gabinete do ódio.

“Carluxo deu o comando errado pros robôs..”, disse Boulos, referindo-se ao duplo sentido de “Fechando com Bolsonaro” na hashtag #FechadoComBolsolnaro.

As redes sociais podem entender que é uma campanha para que o ex-ministro Sérgio Moro fique preso na mesma sela que o presidente Bolsonaro, em Curitiba.

A capital paranaense serviu com masmorra do ex-juiz da Lava Jato, que prendeu o ex-presidente Lula para garantir a vitória eleitoral de Bolsonaro na eleição de 2018.

LEIA TAMBÉM
Saque de auxílio emergencial começa a ser liberado hoje; confira o calendário

Regina Duarte prepara ‘desembarque’ do governo Bolsonaro

Bolsonaro deve confirmar Jorge Oliveira na Justiça e Ramagem na PF, diz agência

Ramagem ameaça Glenn Greenwald e David Miranda pelo Twitter

Alexandre Ramagem já fala como diretor geral da Polícia Federal e não esconde a que veio. Vai perseguir os adversários políticos da família Bolsonaro.

Os dois primeiros alvos são o casal Glenn Greenwald e David Miranda. O primeiro é o fundador do site Intercept e o segundo é deputado pelo PSOL.

“A PF voltará a investigar denúncias de venda de mandatos entre deputados e suplentes. É inaceitável que agentes estrangeiros aproveitem brechas nas leis brasileiras para se instalar no nosso país e achar que aqui é a casa da mãe Joana.#TicTac“

A “venda de mandato” alegada por Ramagem é uma ‘fake news’ antiga, que remonta ao momento que o ex-deputado Jean Wyllys renunciou e saiu do país por causa de ameaças de Bolsonaristas.

Os bolsonaristas inventaram que David comprou a renúncia de Wyllys para assumir seu mandato.

A segunda parte da ameaça é contra Glenn, que é dos Estados Unidos, mas mora no Brasil há vários anos.