Mandetta limpa as gavetas; entrevista na Globo acelerou demissão

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, já está limpando as gavetas e espera ser demitido nas próximas horas.

Novo queridinho da Globo, o demissionário ministro acelerou sua queda ao provocar o presidente Jair Bolsonaro concedendo uma entrevista ao programa Fantástico no último domingo (12). (Clique aqui para assistir).

Na entrevista, Mandetta reclamou do presidente da República por não cumprir o isolamento social e dar contraordens acerca do combate à Covid-19 no País.

“Eu espero uma fala única, uma fala unificada. Porque isso leva ao brasileiro uma dubiedade. Ele não sabe se ele escuta o ministro da Saúde, se ele escuta o presidente, quem ele escuta”, disse o ministro ao Fantástico, se referindo às “voltinhas” de Bolsonaro.

Henrique Mandetta já avisou aos auxiliares no Ministério da Saúde que o presidente procura um substituto.

LEIA TAMBÉM
‘Isolamento social é para evitar o caos’, diz presidente da OAB

Governadores do Pará e do Rio testam positivo para coronavírus; assista

TJPR libera praia na pandemia da COVID-19

As apostas crescem sobre o nome do ex-ministro Osmar Terra (MDB-RS), que era titular da Cidadania.

Na prática, quando houver substituição, será uma troca de seis por meia dúzia.

A desavença entre Mandetta, Globo, Folha e Bolsonaro se dá nas questiúnculas. Eles sempre defenderam e defendem as mesmas coisas. Têm um objetivo em comum: meter ferro nos trabalhadores e no povo brasileiro.

Essa turma que retrata o Fla-Flu entre Bolsonaro e Mandetta, por exemplo, esteve junta na votação da PEC 95 em 2016.

A “PEC da Morte” congelou pelos próximos 20 anos os recursos do SUS (Sistema Único de Saúde) e, até agora, nenhum deles se dispôs a pedir a revogação dessa diabólica norma.

O Blog do Esmael deseja que os dois –Mandetta e Bolsonaro– pisquem juntos e caiam juntos. A palavra de ordem é Fora Bolsonaro e leve junto com você o Mandetta.