José Guimarães: ‘A democracia brasileira sangrará muito, ela não suportará Bolsonaro por mais 3 anos’

Líder da minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE).
O deputado José Guimarães (PT-CE), líder da Minoria, denunciou no plenário da Câmara dos Deputados, nessa quarta-feira (22), os crimes de responsabilidade que o presidente Jair Bolsonaro vem cometendo ao longo de seu mandato, mas principalmente nesta crise global da pandemia da Covid-19. Para Guimarães, o governo de Bolsonaro é incompatível com o Estado brasileiro forte e protetor, que deve defender as pessoas vítimas do coronavírus.

“Esse governo é incompatível. Ele é incompatível com qualquer Estado Democrático de Direito, porque ele é a maior ameaça à ordem democrática brasileira. Os crimes que ele já cometeu, crime de responsabilidade, nessas condutas que ele exercita no dia a dia como presidente da República”, denunciou o parlamentar.

LEIA TAMBÉM:
Com economia paralisada, França pretende acelerar o fim do confinamento

Governo Bolsonaro suspende visitas a presídios federais por mais 30 dias

Estátuas do Rio amanhecem de ‘máscaras’ para reforçar luta contra o coronavírus

Para Guimarães, Bolsonaro além de se contradizer o tempo todo e virar chacota no mundo, desfere ataques à Constituição Federal. “Este Presidente, que governa uma Nação com mais de 200 milhões de brasileiros, não está assentado naquilo que todos os Presidentes que passaram por este País se assentaram depois da redemocratização: a Constituição”.

O líder da Minoria na Câmara destacou ainda que a Constituição brasileira garante que o Brasil é uma República democrática, é um país plural, a imprensa é livre, é livre a organização social e política e dos partidos políticos.

Manifestação contra a democracia
O presidente Jair Bolsonaro participou, no último domingo (19), de uma manifestação que pedia a volta de um dos períodos mais sombrios da história do Brasil, a Ditatura Militar. Os cartazes e faixas dos manifestantes cobravam o fechamento do Congresso Nacional, do Supremo Tribunal Federal (STF) e a volta do AI-5.

“Quando o presidente da nação, que é uma nação democrática como manda a Constituição, vai a público incitar as pessoas, pedir a volta da ditadura e da tortura, ele está, sim, cometendo crime de responsabilidade contra a República Federativa e democrática do Brasil”, argumentou José Guimarães.

O parlamentar defendeu que todos os democratas do País se unam em uma ampla frente em defesa da democracia, do emprego e da vida, além de exigir o fim do governo de Jair Bolsonaro. “Nós temos que ter esse compromisso. O Parlamento tem que ancorar esse movimento de grande envergadura nacional. Nós precisamos, neste momento, fazer uma frente em defesa da democracia, e, ao mesmo tempo, exigir o fim desse Governo. A democracia brasileira sangrará muito, ela não suportará Bolsonaro por mais 3 anos.”

Da Liderança do PT na Câmara.