Índia estende medidas de isolamento até 3 de maio

Primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi.
O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, anunciou nesta terça-feira (14) a extensão das medidas de isolamento no país de 1,3 bilhão de habitantes até o dia 3 de maio, mas afirmou que poderá haver relaxamentos a algumas das restrições de movimento para ajudar os mais pobres, que dependem de rendimentos diários, e os que trabalham na agricultura.

Em pronunciamento à nação, Modi afirmou que haverá “relaxamentos limitados” a partir de 20 de abril, mas apenas em distritos onde não há casos da Covid-19. As restrições foram impostas pelo governo no dia 25 de março e deveriam ser encerradas nesta terça-feira. Até o momento, as pessoas apenas podem deixar suas casas para saídas rápidas para ir a farmácia ou mercados.

LEIA TAMBÉM:
‘Coronavírus é dez vezes mais letal que H1N1’, diz OMS

Covid-19: mundo beira 2 milhões de casos e passa de 120 mil mortes

Cientistas calculam que número de infectados por Coronavírus é 15x maior que o oficial

As medidas adotadas pelo governo atingiram fortemente os mais pobres, deixando milhões de trabalhadores que dependem de rendimentos diários sem emprego e forçando centenas de milhares a retornarem a seus vilarejos de origem. Muitos acabaram retidos em cidades superpovoadas em meio a péssimas condições sanitárias, onde o coronavírus pode se espalhar facilmente.

“Do ponto de vista econômico, pagamos um alto preço, mas as vidas do povo indiano são muito mais valiosas”, disse Modi. “As experiências dos últimos dias deixam claro que o caminho que escolhemos é o correto”, afirmou.

Segundo dados oficiais, o país possui mais de 9 mil casos registrados e 339 mortes. Entretanto, alguns especialistas afirmam que a Índia não realizou testes suficientes e que o número de infeções deve ser bem maior.

As informações são da Deutsche Welle.