Governo vai recorrer da decisão que tirou exigência de CPF regularizado para receber auxílio emergencial

Ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.
O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta quinta-feira (16) que o governo deve recorrer da decisão da Justiça que derrubou a exigência da regularidade de Cadastro de Pessoa Física (CPF) junto à Receita Federal para receber o auxílio emergencial de R$ 600.

“O Ministério da Cidadania trabalha, conversei com [o ministro da Justiça, Sergio] Moro, com o [Ministério da] Economia, com a Receita Federal para que a AGU (Advocacia-Geral da União), nosso posicionamento no sentido de que a AGU recorra dessa decisão, porque toda e qualquer operação no sistema financeiro brasileiro é baseado na identificação da pessoa dada pelo CPF”, afirmou o ministro em uma entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

LEIA TAMBÉM:
G20 suspende a dívida de países pobres por 12 meses

A regularização do CPF é uma das exigências do governo para a pessoa receber o pagamento de R$ 600. O auxílio emergencial, voltado para trabalhadores informais, tem o objetivo de amenizar o impacto econômico da pandemia do coronavírus.

Nesta quarta (15), a exigência da regularização do CPF foi derrubada por decisão do juiz federal Ilan Presser, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1).

Com informações do G1 .