Globo perde embate para Bolsonaro sobre isolamento para conter coronavírus

Publicado em 1 abril, 2020
Bolsonaro e Véio da Havan, contrários ao isolamento social, riem da Rede Globo; emissora perde embate sobre o coronavírus para a visão negacionista.

Apesar de a TV Globo cantar em verso e prosa suposto recuo do presidente Jair Bolsonaro, no pronunciamento desta terça (31), na realidade, o “Capitão Corona” segue ganhando o embate nas ruas contra o isolamento para conter o coronavírus.

A Globo comemorou ontem como se fosse um gol a “amaciada” do presidente, que, na fala em rede de rádio e televisão, admitiu a letalidade do vírus e a necessidade de “salvar vidas, sem deixar para trás os empregos”.

Bolsonaro não disse em nenhum momento, no discurso de 7 minutos e 55 segundos, que seria a favor do isolamento social ou da quarentena. Muito pelo contrário. Ele sinalizou pela volta à normalidade para os autônomos e outros serviços considerados [hoje] não essenciais.

O presidente Bolsonaro “afrouxou” o linguajar no pronunciamento da TV, mas continuou a fazer exatamente o que vinha fazendo: articulando nos bastidores o descumprimento do isolamento.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro sanciona auxílio de R$ 600 durante pandemia com vetos

PT condena remoção de comunidade quilombola de Alcântara no Maranhão

Lula acusa Bolsonaro de espalhar o coronavírus no povo; assista

Os empresários que fazem parte de seu exército de bolsominions — Véio da Havan, dono do Madero, dos supermercados Condor, etc., –ampliam a campanha pela reabertura “full” de todo o comércio e serviços.

Prova de que o relaxamento com o isolamento vem aumentando, após as “voltinhas do coronavírus” dada pelo presidente, por exemplo, pode ser medido pelos curitibanos que voltaram aos parques públicos e locais de grande aglomeração.

Nas ruas centrais da capital paranaense também já é possível observar aumento do fluxo de carros no trânsito, bares e restaurantes abertos ao público, comércio ambulante, enfim, exatamente como deseja o presidente Jair Bolsonaro.

Resumo da ópera: a Globo perdeu o embate para Bolsonaro, apesar de propagandear que venceu com um suposto recuo do presidente.