Globo perde dois ministros em uma semana

Com a saída de Sérgio Moro do Ministério da Saúde, a Rede Globo perde dois nomes “seus” no primeiro escalão do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Daqui a pouco, às 11h, Moro concederá entrevista coletiva. Segundo os veículos de comunicação da emissora dos Marinho, o ex-juiz da Lava Jato irá pedir demissão ao vivo, como se fosse um espetáculo, da mesma forma que condenou e prendeu adversários políticos quando era juiz.

Na semana passada, a Globo perdeu seu “queridinho” Luiz Henrique Mandetta, que foi demitido do Ministério da Saúde.

A Globo ainda mantém a atriz Regina Duarte como Secretária Especial da Cultura. No entanto, a moça enfrenta forte artilharia do “Gabinete do Ódio” e o guru Olavo de Carvalho. Nada por ideologia ou política da área, mas tudo por cargos e salários.

LEIA TAMBÉM
Moro já é “comunista” com demissão do diretor da PF; ministro convoca coletiva às 11h

Moro convoca coletiva de imprensa

Bolsonaro demite o diretor-geral da Polícia Federal Maurício Leite Valeixo

Justiça Federal suspende autorização de Bolsonaro para canaviais na Amazônia

A juíza federal Jaiza Maria Pinto Fraxe, da 7ª Vara da Seção Judiciária do Amazonas, concedeu liminar à ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal (MPF) no estado contra a União, para revogar o Decreto 10.084, de 5 de novembro de 2019, que autorizava a plantação de cana de açúcar na Amazônia.

Assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina (DEM-MS), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, o decreto revoga um anterior, o 6.961, de setembro de 2009, em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva instituiu o zoneamento para o plantio da cana e as operações de financiamento ao setor sucroalcooleiro.

Na ação, o MPF pede que a Justiça impeça a reedição de novo decreto sobre o tema até que demonstre, por meio de estudos técnicos e científicos, que a abertura de canaviais na região não vai afetar o meio ambiente do bioma. A Amazônia já vem sendo degradada por desmatamento, queimadas e ação de mineradores e garimpeiros ilegais.

Donald Trump sugere injeção de desinfetante contra o Coronavírus

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi além da Cloroquina e sugeriu que fossem aplicadas injeções de desinfetante em pacientes com o Coronavírus.

“Vejo desinfetante que derruba em um minuto, um minuto. E há uma maneira de fazer algo assim por injeção ou quase uma limpeza?”, disse Trump.

“Como você vê, ele entra nos pulmões, faz um número tremendo nos pulmões, então seria interessante verificar isso”, completou.

A cineasta Petra Costa compartilhou a fala de Trump e escreveu:

“Meu medo é daqui a pouco o capitão esquecer a cloroquina e começar a falar na televisão que as pessoas têm que tomar injeções de Mr. Músculo…”

Logicamente, os médicos consultados rechaçaram a ideia.