Flávio Dino: “Estamos mais próximos de um lockdown do que de reabrir”

Preocupado com o crescimento do número de casos do novo coronavírus no Maranhão, o governador Flávio Dino (PCdoB) afirmou, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (27), que não pensa permitir o retorno de atividades, como comércio não essencial, agora.

“Eu diria que estamos mais próximos de uma situação de lockdown, do que de uma situação de liberação. Isto não depende da vontade do governador, mas da dinâmica de crescimento da pandemia”, lamentou o chefe do Executivo maranhense.

LEIA TAMBÉM:
SP tem quase 8 mil pessoas internadas com covid-19

Brasil soma 4.543 mortes e 66.501 casos de coronavírus em 27/04

Em colapso, Manaus solicita aviões para reabastecer estoque de caixões

O estado já tem 2.410 casos confirmados, com 125 óbitos. Cerca de 95% dos casos confirmados estão na região metropolitana da capital, São Luís. Há casos em 59 dos 217 municípios, pelo quê o governador lamentou e prestou solidariedade às famílias.

Diante do quatro, Dino explicou que a curva de contaminação tem crescido pois, apesar das recomendações, é baixa a adesão às medidas de isolamento propostas até aqui.

Ele reforçou que há casos como as filas nos bancos, que são compreensíveis em alguma medida, mas há outros casos de pessoas que “promovem campeonatos esportivos” ou “fazem festas particulares”, atentando contra a saúde pública, o que foi duramente criticado.

“Estamos fazendo todos os esforços, acreditem, estamos fazendo esforços monumentais”, afirmou o governador, tratando das medidas para garantir aumento no número de leitos e atendimento à população. Porém, ele reforçou que nenhum esforço será suficiente sem a ajuda e a compreensão da população.

“A minha questão não é: todas as pessoas têm seus direitos individuais, que eu respeito muito. Porém, nenhum direito pode ser exercido contra os direitos da sociedade, contra o sistema de saúde pública”, alertou Flávio Dino.

Medidas
Segundo o governador, aulas na rede estadual não devem voltar no dia 12 de maio, data inicialmente prevista. Redes municipais e particulares terão autonomia para decidir se voltam ou não, mas o mandatário recomendou o máximo de cautela e diálogo antes que decisões de aberturas sejam tomadas.

O governo do Estado está abrindo nesta segunda-feira (27) mais 40 leitos de UTI, alguns em parceria com a Universidade Federal do Maranhão, todos em São Luís. E chegam mais 175 respiradores nesta semana. A previsão é de que mais 200 leitos sejam entregues na semana que vem. Diante do aumento no número de casos, um hospital de campanha foi contratado.

O governador também comentou que a limitação de recursos inclui os humanos. Para enfrentar o problema, decreto desta segunda-feira (27) requisita que as universidades públicas e privadas antecipem formaturas de alunos de Medicina que estão cumprindo as últimas disciplinas da graduação. Também serão convocados médicos brasileiros e estrangeiros que participaram do Mais Médicos.

As informações são do site do PCdoB