Em manifesto, metalúrgicos defendem reestatização da Embraer

Embraer e sindicato ‘fecham acordo’ que suspende contrato de trabalho


A Embraer fez o anúncio que fechou acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos para garantir a manutenção dos empregos durante a pandemia do novo coronavírus. A proposta de suspensão temporária dos contratos de trabalho com garantia de vínculo empregatício será levada para aprovação dos trabalhadores nesta terça-feira (14).

Segundo a empresa, não haverá alterações na jornada e nos salários dos empregados em atividades essenciais e presenciais. Os funcionários que forem colocados no regime de home office terão redução de 25% na jornada de trabalho e nos salários, mas poderão receber até R$ 453,00 de ajuda emergencial do governo federal.

Os demais trabalhadores terão os contratos de trabalho suspensos (layoff) por dois meses e receberão ajuda compensatória mensal, além do auxílio do governo.

“A Embraer permanecerá em contínuo diálogo com os clientes, fornecedores e governos para atender as necessidades essenciais do setor e da população, priorizando sempre a saúde e segurança dos seus colaboradores e a preservação de empregos”, declarou a empresa.

LEIA TAMBÉM:

FMI projeta queda de 5,3% da economia brasileira este ano

Covid-19: mundo beira 2 milhões de casos e passa de 120 mil mortes

Cientistas calculam que número de infectados por Coronavírus é 15x maior que o oficial

Em nota, o sindicato dos metalúrgicos de São José dos Campos disse que não concorda com as medidas, mas vai levar as propostas para deliberação da categoria.

“O sindicato não concorda com a proposta apresentada pela Embraer. A empresa tem total condição de garantir o salário de todos os trabalhadores, mesmo com a fábrica parada. Ainda assim, levaremos a proposta para votação. Aqui no Sindicato, quem decide são os trabalhadores”, afirmou Herbert Claros, diretor da entidade.

Na semana passada, a Embraer anunciou acordo com o Sindiaeroespacial, que representa os funcionários das unidades da de São Paulo, Campinas, Sorocaba e Taubaté, e o Sindicato dos Engenheiros, que representa a categoria em São José dos Campos, Campinas e Gavião Peixoto.

*As informações são da Agência Brasil