Eleições 2020: A vez dos profissionais da saúde na política; assista ao vídeo

Para Murilo Hidalgo (centro), da Paraná Pesquisas, PT e Bolsonaro são os únicos polos que têm bases eleitorais consolidadas.

O presidente da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, em entrevista ao Blog do Esmael, disse nesta quarta-feira (1º) que 2020 será o ano dos profissionais da saúde na política.

O entrevistado lembrou que na eleição de 2018 prevaleceu nas urnas personagens militares, ou seja, soldados, capitães, bombeiros militares, etc., mas agora será a vez do médico, enfermeiro, defensor civil, assistente social, psicólogo, enfim, daqueles profissionais que estão na linha de frente no combate ao coronavírus.

Hidalgo alertou que o próximo sábado, dia 4 de abril, é prazo limite para as pessoas que irão disputar a eleição municipal se filiarem a algum partido político.

LEIA TAMBÉM
Globo perde embate para Bolsonaro sobre isolamento para conter coronavírus

UNE e Ubes pedem a suspensão do calendário do Enem 2020

Ministério de Damares recomenda trabalho virtual a profissionais do sexo

Para o dono da Paraná Pesquisas, a eleição municipal de 2020 –que escolherá prefeitos e vereadores em 5.570 cidades brasileiras—será a mais mal-humorada de toda história. Segundo ele, o “bolso”, a falta de dinheiro para pagar os boletos, vai pesar na hora do voto.

“Esse pessoal da área da saúde, que está em superexposição, a exemplo do ministro Henrique Mandetta, na luta contra o coronavírus, terá vantagem competitiva inclusive em relação aos atuais políticos.”

Sobre a tese de adiamento das eleições de outubro, Murilo Hidalgo afirma que seria “golpe” dos políticos que não têm voto e estão com medo de enfrentar os eleitores nas urnas.

Assista a íntegra da entrevista de Murilo Hidalgo, presidente da Paraná Pesquisas: