Doria estuda ‘prender pelos pés’ quem furar o isolamento social em SP; veja como seria

Reprodução.
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), estuda copiar o exemplo da Colômbia e ‘prender pelos pés’ quem furar as determinações de isolamento social.

O tucano também pensa em mandar alguns “equipamentos” para o Ministério da Saúde e o Palácio do Planalto.

A tecnologia de prender pelos pés quem descumpre a quarentena é usada pela prefeitura municipal de Tuchín, em Córdoba, nos moradores que infringem regras obrigatórias de isolamento. Eles recebem o castigo por pelo menos meia hora em praça pública.

A estrutura de madeira é conhecida como “cepo” e a sanção é prevista em lei e já fazia parte da tradição do povo indígena Zenú, da qual a população de Tuchín é descendente.

Tuchín tem cerca de 35 mil habitantes e leva a sério o isolamento para conter o avanço do coronavírus.

Com informações da revista Época.

LEIA TAMBÉM
Mandetta dá dicas sobre uso de máscara caseira para proteger do coronavírus

Lula, o homem que adora cachorro

‘Gabinete do ódio’ promove ataque contra general Braga Netto

FGTS vai liberar saque de R$ 1.045 por trabalhador; saiba como adquirir o benefício
Cada trabalhador poderá sacar R$ 1.045 do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) a partir de 15 de junho. É o que diz uma medida provisória foi publicada em edição extra do DOU (Diário Oficial da União) no fim da noite de terça-feira (7). Na MP, o governo federal extinguiu o PIS-Pasep.

A medida é para tentar estimular a economia que aprofundou a depressão com a pandemia de coronavírus.

De acordo com a MP, o patrimônio acumulado nas contas individuais dos participantes do Fundo PIS-Pasep​ fica preservado.

Notícias ao vivo do coronavírus: 69% acreditam que irão perder renda na crise, diz Datafolha
Os brasileiros tem a percepção de que a depressão econômica do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Paulo Guedes será agravada pela pandemia do coronavírus. Segundo o Datafolha, 69% acreditam que irão perder renda durante a crise.

De acordo com a pesquisa divulgada nesta quarta-feira (8), 30% não veem o agravamento da crise econômica por causa da Covid-19.

O levantamento foi realizado à distância, por telefone celular, entre os dias 1º e 3 de abril. O instituto entrevistou 1.511 pessoas. A margem de erro é de 3 pontos para mais ou para