Coronavírus põe em risco a reeleição de Bolsonaro em 2022, diz Reuters

Publicado em 2 abril, 2020

A agência de notícias Reuters, em seu despacho internacional, informa que o presidente Jair Bolsonaro teme que a depressão econômica provocada pelo coronavírus o derrote na reeleição de 2022.

A reportagem assinada por Lisandra Paraguassu, Anthony Boadle e Ricardo Brito relata os dias tensos vividos pelo presidente no Palácio Alvorada, onde amarga um isolamento político jamais visto.

Até agora, Bolsonaro vem minimizando o catastrófico efeito da Covid-19, que ceifa vidas e dizima economias mundo afora. Ele tem tratado a pandemia como “gripezinha” e hoje, novamente, ironizou a mídia dizendo que não vai ficar com ‘medinho’ de pegar o vírus.

Voltemos à Reuters.

LEIA TAMBÉM
Ronaldo Caiado no programa Roda Viva

Flávio Dino: “Se Bolsonaro quer a abertura, por que não decreta?”

Bolsonaro volta a atacar o isolamento social contra o coronavírus; assista ao vídeo

EUA têm 10 milhões de desempregados em duas semanas de coronavírus

A matéria avalia que os pedidos crescentes de impeachment, à medida que a epidemia piora, aumentam o risco de um colapso do gabinete neste mês e sepultam a agenda de reformas do governo.

O aumento do desemprego e a inatividade econômica são os dois pontos que assombram Bolsonaro, lhe tiram o sono e o levam às crises de choro –segundo a Folha de S. Paulo.

Além de ouvir representantes do mercado financeiro e governadores, a Reuters cita parlamentares, empresários e ministro do STF para chegar à conclusão de que a reeleição de Bolsonaro já subiu no telhado.

“Ele tem que apresentar um plano, reconhecer a gravidade da situação, mostrar equilíbrio e bom senso. Ou então renuncie”, pediu o ex-candidato a presidente João Amoedo (NOVO), fazendo coro com o ex-presidente Lula e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Com informações da Reuters Internacional.