Braga Netto demite ‘aspone olavista’ da Casa Civil

O novo ministro da Casa Civil, Walter Souza Braga Netto e o presidente Jair Bolsonaro, durante cerimônia de posse no palácio do Planalto
Aluno de Olavo, Pedri é um dos autores do manifesto de fundação do Aliança pelo Brasil, partido criado em novembro passado pelo presidente.

Felipe chegou ao cargo quando Onyx Lorenzoni ainda era chefe da pasta.

Recentemente, atacou governadores e prefeitos por conta das medidas de isolamento social adotadas no combate à propagação do novo coronavírus.

O ex-assessor já se referiu à pandemia como “vírus chinês” e chama a doença de “gripe”.

Braga Netto ganha cada vez mais força na condução dos assuntos do dia a dia no Palácio do Planalto.

LEIA TAMBÉM
Brasil tem 28.320 casos confirmados de Coronavírus e 1.736 mortes em 15 de abril

PSOL recorre no STF para que leitos privados de UTI sejam geridos pelo SUS

Morreu Robem Fonseca, um dos principais escritores da literatura brasileira

Juiz recebe extrato dos CDBs de Dona Marisa: valor é de 26 mil reais
Os advogados do inventário de Dona Marisa Letícia Lula da Silva responderam hoje pedido de esclarecimento sobre o valor de investimentos em CDBs ao juiz da 1º Comarca de Família e Sucessões de São Bernardo do Campo. O juiz havia perguntado, em documento do dia 6 de abril, sobre o valor dos CDBs com uma suposição equivocada, confundindo o valor unitário de cada certificado com o valor unitário de debêntures de outra natureza, gerando um valor estimado muito acima do valor real dos CDBs de Dona Marisa, que correspondem a pouco mais de 26 mil reais.

Os advogados responderam ao juiz que:

“Não existe qualquer tipo de relação entre os documentos constantes às fls. 394/427 e 428/468 (escrituras de emissão de debêntures) com os CDBs (Certificados de Depósitos Bancários) de titularidade da Sra. Marisa Letícia Lula da Silva, tampouco existe relação entre tais CDBs e o valor nominal de R$ 100,00.

Em razão da aplicação automática de valores que estavam disponíveis na conta-corrente que pertencia à D. Marisa e que já haviam sido trazidos a estes autos, foi identifica a existência de CDBs em nome da falecida, os quais, segundo extrato atualizado do Banco Bradesco, correspondem à quantia (líquida) de R$ 26.281,74 (vinte e cinco mil, duzentos e oitenta e um reais e setenta e quatro centos).”

O valor real é 1000 vezes inferior ao divulgado pelos parlamentares Carlos e Eduardo Bolsonaro e pela secretária de Cultura Regina Duarte, que divulgaram a fake news da estimativa equivocada nas suas redes sociais para caluniar uma pessoa falecida com fins políticos.