Bolsonaro expulsa do país toda representação diplomática da Venezuela

O Ministério de Relações Exteriores do Brasil comunicou, nesta terça-feira (28), que os 34 funcionários que integram a representação diplomática venezuelana no país devem abandonar suas sedes e regressar à Venezuela no máximo até o dia 2 de maio.

A medida inclui não só os diplomatas que trabalham na Embaixada da Venezuela em Brasília como também os que atuam nos consulados presentes nas cidades de Belém, Boa Vista, Manaus, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

A expulsão dos funcionários diplomáticos da Venezuela é mais agressão de Bolsonaro contra o govermo constitucional do presidente Nicolás Maduro.

LEIA TAMBÉM:

PSB protocola pedido de impeachemnt contra presidente Bolsonaro

Veja: Bolsonarista, Sikêra Júnior chora e revela que está com coronavírus

No Líbano, bancos são queimados pela população em meio à pandemia de Covid-19

Em março, Brasília já havia removido seus funcionários diplomáticos de Caracas. No dia 16 de abril, fechou a embaixada na Venezuela.

Assim como os Estados Unidos, Bolsonaro reconhece o autoproclamado “presidente” Juan Guaidó como mandatário da Venezuela.