Globo perde queda de braço para Bolsonaro com demissão de Mandetta

A Rede Globo pode ser considerada uma pedra no sapato de muitos políticos, que pode até atrapalhar um projeto de poder, mas a emissora já não é mais certeza de sucesso. Vide o caso do ministro da Saúde, Henrique Mandetta, que está prestes a ser demitido porque apareceu no programa Fantástico, no domingo (12), sem autorização do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O oncologista Nelson Teich é cotado para assumir o Ministério da Saúde no lugar do atual ministro aliado da Globo, que perdeu a queda de braço para Bolsonaro.

Antes de mais nada, é bom o leitor se contextualizar: Bolsonaro e Globo discordam em alguns aspectos sobre o uso do Orçamento da União, porém eles sempre jogaram juntos para ferrar os trabalhadores e empobrecer a população brasileira. Eles [presidente e TV] têm um lado, o lado dos banqueiros e especuladores no mercado financeiro.

Todos as maldades aprovadas pelo Congresso Nacional nos últimos anos –reformas da previdência e trabalhista, congelamento do investimento na saúde pelos próximo 20 anos– teve a anuência de todas as partes (Globo, Bolsonaro, Mandetta, etc.).

A Globo virou um tigre de papel, a jugar pelo resultado das eleições presidenciais de 2018 e o episódio Mandetta. No entanto, quando há coesão no comitê central da burguesia paulistana, a emissora ainda pode atrapalhar como atrapalhou, por exemplo, a volta do PT ao Palácio do Planalto.

LEIA TAMBÉM
Auxílio Emergencial: Não precisa mais de regularizar CPF para receber benefício R$ 600 em todo país

Covid-19: ‘Greca comete crime de responsabilidade’, diz Requião

Donald Trump aproveita pandemia do coronavírus para demitir cozinheiros e empregadas domésticas

Mandetta se diz ‘cansado’ e pode ser demitido pelo Twitter
O ministro da Saúde, Henrique Mandetta, se diz ‘cansado’ pela luta nas vésperas de ser degolado em público –via Twitter– pelo presidente Jair Bolsonaro.

“São 60 dias nessa batalha. Isso cansa!”, afirmou o ainda ministro, nesta quarta-feira (15), à revista Veja.

A publicação da Abril quis saber se não tinha mais jeito dele continuar no cargo.

“De permanecer no governo? Não, não. São 60 dias nessa batalha. Isso cansa!”, respondeu.

Mandetta revelou que permanece na pasta até Bolsonaro encontrar uma pessoa para assumir seu lugar.

Mandetta é um incompetente, é contra o SUS, mas tem apoio da velha mídia. Ele virou o queridinho da vez durante nessa pandemia da Covid-19, no lugar do ex-juiz Sérgio Moro.

O diabo é que o número de casos de coronavírus e mortes continuam a subir no Brasil, enquanto Bolsonaro e Mandetta ficam disputando os holofotes.

Além disso, a guerrinha do ministro com o presidente da República somente distrai o distinto público para o funcionamento da guilhotina nos direitos dos trabalhadores.

Na madrugada desta quarta, por exemplo, a Câmara revogou 42 artigos da CLT e alterou outros 15 de legislações trabalhistas. Tudo para precarizar a mão de obra, reduzir salários e semi-escravizar a classe obreira.

Isso a Globo e a Folha não mostram porque eles todos concordam em ferrar o povo de verde e amarelo, literalmente.

Em tempo: quando era deputado, na legislatura passada, Mandetta revesava entre puxar o saco de Eduardo Cunha e votar contra o SUS; vide a PEC 95, que congelou pelos próximos 20 anos os investimentos na Saúde.