Angelo Coronel diz que aguarda decisão do STF sobre prorrogação da CPI das Fake News

Presidente da CPMI das Fake News, Angelo Coronel
O presidente da CPI das Fake News, senador Angelo Coronel (PSD-BA), divulgou uma nota nesta quarta-feira (22) em que reitera que a decisão de prorrogar as investigações da comissão foi tomada pelo Congresso Nacional.

Angelo Coronel enfatiza ainda que vai aguardar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a ação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que pede que a Corte suspenda a prorrogação da CPI.

“A prorrogação foi uma decisão do Congresso Nacional e a ele, como presidente do colegiado, cabe apenas acatar a decisão que for tomada pela Suprema Corte”, diz a nota divulgada pela assessoria de imprensa após o senador ser procurado pela Agência Senado.

LEIA TAMBÉM:
Brasil já soma 2.906 mortes e 45.757 casos de Coronavírus em 22/04

Oposição quer incluir Bolsonaro no inquérito do STF que apura atos contra democracia

Efeito Bolsonaro: Dólar dispara nesta quarta e bate em R$ 5,38

STJ marca julgamento virtual do caso do triplex que não é de Lula

Instalada em setembro, as atividades da CPI, que tem a finalidade de investigar ataques cibernéticos contra a democracia e o debate público, terminariam no dia 14 de abril. Os parlamentares, no entanto, decidiram, no início deste mês, prorrogar os trabalhos por mais 180 dias. O requerimento contou com 34 assinaturas de senadores e 209 de deputados. Uma CPI pode ser ter seu prazo estendido a pedido de 27 senadores e 171 deputados.

Eduardo Bolsonaro protocolou mandado de segurança no STF na segunda-feira (20) para anular a prorrogação. Na ação, ele alega que, a CPI tem se prestado a perseguir os apoiadores de Jair Bolsonaro. O ministro Gilmar Mendes foi sorteado para analisar o pedido do deputado.

Integrante da CPI das Fake News, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) questionou nesta quarta-feira as motivações de Eduardo Bolsonaro de tentar barrar o andamento das investigações sobre notícias falsas. Para o senador “quem não deve, não teme”.

“O filho de um dos maiores propagadores de fake news do país quer impedir que a CPMI avance. Como diz o ditado, quem não deve não teme. O que preocupa Eduardo Bolsonaro? Esquemas de fake News que prejudiquem a democracia e o país serão combatidos por nós!”, escreveu o senador da Rede no Twitter.

Com informações da Agência Senado