UNE cancela manifestações do dia 18 para evitar risco de coronavírus

Compartilhe agora


A União Nacional dos Estudantes (UNE) divulgou nesta sexta-feira (13) que vai cancelar as manifestações previstas para o próximo dia 18 em todo o país contra desmontes da educação e do serviço público promovidos no governo de Bolsonaro.

Em comunicado, a UNE informa que mantém greves a paralisações, mas que vai substituir os atos por um “grito de indignação” nas redes sociais e que, quando a pandemia for controlada, “voltará a ocupar as ruas do país”.

Leia a íntegra da nota de posicionamento da UNE sobre o #18M:

Entidade decide pelo adiamento das manifestações frente ao avanço do COVID-19 no país

Diante do avanço da contaminação do COVID-19 no Brasil, nós, da União Nacional dos Estudantes, acreditamos que esse é um momento de responsabilidade com a saúde do povo brasileiro e por isso em conjunto com outros movimentos, decidimos pelo adiamento dos atos de rua do dia 18, evitando o fomento de grandes aglomerações conforme orientações da OMS e Ministério da Saúde, mas mantendo as greves e paralisações.

Quanto às universidades, após a paralisação das aulas, consideramos ser de extrema importância que os conselhos superiores tenham a responsabilidade de debater esse caso, agregando também elementos de equipes técnicas de saúde, para tomar medidas e suspender as aulas para evitar a proliferação do vírus nos locais em que já há suspeita ou confirmação de casos do Coronavírus.

LEIA TAMBÉM:

Bolsonaro jura em rede social que seu teste de coronavírus deu negativo

Governo recomenda cancelamento de eventos por causa do coronavírus

Coronavírus: Conselho Nacional de Saúde pede fim de ‘PEC da morte’

Os cuidados com a saúde pública são muito importantes nesse momento, e os estudantes, professores e cientistas têm mostrado a importância da pesquisa e dos hospitais universitários para a contenção da pandemia. Acreditamos que as universidades devem ter uma ação articulada para buscar formas mais eficazes de tratamento e prevenção, demonstrando a importância da ciência na valorização das nossas vidas. Essa lamentável situação de saúde pública só deixou mais evidente a necessidade de mais investimentos e respeito pelas nossas instituições públicas de ensino e saúde.

Desse modo, no dia 18.03, a UNE construirá nas redes sociais o grito de indignação com o que tem acontecido no Brasil, com a educação, democracia e desmonte dos serviços públicos. Também utilizaremos nossos canais para alertar aos estudantes brasileiros dos cuidados e precauções necessárias nesse momento, sem pânico, mas com prevenção.

Seguimos incansáveis na luta e contribuindo pela contenção da pandemia e assim que tudo estiver sob controle voltaremos a ocupar as ruas de país.

União Nacional dos Estudantes