Ratinho sinaliza apoio à reeleição de Greca em Curitiba

Publicado em 31 março, 2020
O governador Ratinho Junior “cooptou” o vice-prefeito de Curitiba Eduardo Pimentel para o PSD; “santa aliança” consolida triunvirato político na capital do Paraná (Greca, Richa e Ratinho).

O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), sinalizou ontem (30) que irá apoiar a reeleição do prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM). na eleição de outubro próximo.

A “bruxaria” foi realizada com a filiação no PSD do atual vice-prefeito Eduardo Pimentel, que estava no PSDB de Beto Richa.

Na prática, Ratinho, Greca e Richa remoçam politicamente a “santa aliança” na capital paranaense.

Com a entrada de Pimentel no PSD, a candidatura do secretário de Estado da Justiça, Ney Leprevost (PSD), ficou prejudicada. Leprevost, que é deputado federal licenciado, concorreu o segundo turno com Greca na eleição de 2016.

LEIA TAMBÉM
Haddad: ‘Tem que ser muito tosco para defender que a ditadura salvou nossa democracia’

Desemprego explodiu antes de pandemia do novo coronavírus, diz IBGE

Bolsonaro se envolve em novo ‘bate-boca’ durante entrevista; assista

Eduardo Pimentel é neto do ex-governador do Paraná Paulo Pimentel, ex-dono do SBT no estado. A emissora de televisão foi comprada em 2008 pelo apresentador Ratinho, pai do governador.

Chifrado pelo correligionário Ratinho, Leprevost tem como saída: mudar de partido, deixar a secretaria e disputar como “tercius” a Prefeitura de Curitiba. Uma das possibilidades seria ele ingressar no MDB, que discute as pré-candidaturas do ex-senador Roberto Requião e do ex-deputado João Arruda.

De acordo com o calendário eleitoral do TSE, os candidatos que pretendem disputar as eleições de 2020 têm até este sábado, 4 de abril, para se filiarem a algum partido político e alterar seus domicílios eleitorais para o lugar onde pretendem participar do pleito, caso ocorra.

Há também a discussão sobre o adiamento do pleito municipal em decorrência da pandemia do coronavírus. Ou seja, a eleição de outubro vai depender da eficiência das medidas profiláticas determinadas pelas autoridades sanitárias.