PSOL vai pedir abertura de CPI para investigar concessão do Bolsa Família

A bancada do PSOL na Câmara vai pedir a abertura de uma CPI na Câmara dos Deputados para investigar distorções criadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro na concessão do Bolsa Família à região Nordeste neste início de 2020.

O pedido também abrange a investigação do aumento da fila, a manipulação de dados, a destinação dos benefícios sem critérios técnicos e a falta de transparência em todo o processo.

LEIA TAMBÉM:
Custo da cesta básica aumenta em 10 capitais, aponta Dieese

PIB de 2020 pode ser pior que o 1,1% de 2019, alerta Marcio Pochmann

Vigília contra despejos rurais no Paraná recebe visita de deputados nesta sexta

Reportagem divulgada nesta quinta-feira (5) pelo Estadão revelou que apesar de concentrar 36,8% das famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza, a região Nordeste representa apenas 3% dos novos beneficiários do Bolsa Família em 2020, enquanto as regiões Sul e Sudeste representam 75% das novas concessões.

Para se ter uma ideia, o número de novos benefícios concedidos em Santa Catarina, que tem população oito vezes menor que o Nordeste e é governada por Carlos Moisés (PSL), aliado de Bolsonaro, foi o dobro do repassado à região nordestina inteira, cujos governadores são de oposição ao governo federal. Nas eleições de 2018, apenas 30,3% dos nordestinos votaram em Bolsonaro.

“Essa reportagem mostra a distorção e perversidade do governo para a região onde ele não teve voto”, aponta Ivan Valente, um dos autores do pedido de CPI pelo PSOL. O partido vai recolher as 171 assinaturas necessárias para a abertura da comissão na Câmara pelo presidente da casa Rodrigo Maia.

As informações são do PSOL.