‘Pibinho’ de Bolsonaro e Guedes é fruto da falta de investimento

Compartilhe agora

A economia brasileira cresceu 1,1% em 2019. Foi o pior desempenho dos último 3 anos, qual seja, desde o golpe de Estado que derrubou a presidenta Dilma Rousseff (PT).

O golpe contra Dilma abriu as portas para as reformas trabalhista e da previdência. Ambas eram apontadas como absolutamente necessárias para a retomada do crescimento econômico e a queda do desemprego.

Mas nada disso aconteceu. A única coisa que segue em alta no país é o lucro dos bancos.

E isso tem uma explicação bem simples, com menos dinheiro, os trabalhadores consomem menos e todo mundo perde.

Mas, um dos principais vilões do “pibinho” de Bolsonaro e Guedes e a queda no investimento, tanto público quanto privado.

LEIA TAMBÉM
Pibinho de Bolsonaro gera comoção no Brasil; veja o tamanho da repercussão

IBGE divulga pibinho de Bolsonaro: Crescimento de 1,1% em 2019

Bolsonaro leva comediante para entrevista e não fala sobre ‘pibinho’

O governo Bolsonaro promoveu cortes em praticamente todos os setores do orçamento, menos nas verbas para os militares. O resultado é menos dinheiro circulando e menos impostos arrecadados. Entramos num ciclo vicioso onde o fundo do poço é o limite.

Por outro lado, as constantes crises, bravatas e escândalos do clã presidencial afastam os investidores privados que não veem nenhuma expectativa de estabilidade no futuro próximo.

O ministro do “Pibinho”, Paulo Guedes, disse que está tudo dentro do previsto e que não essa “comoção toda” com o crescimento de somente 1,1%.

Está certo, ministro, muita gente já esperava esse fiasco, menos os seus apoiadores e o seu chefe, Bolsonaro.

Com informações do Valor.