Patrícia Campos Mello, da Folha, processa Bolsonaro por danos morais

Compartilhe agora


A repórter da Folha de São Paulo Patrícia Campos Mello apresentou à Justiça uma ação com pedido de indenização por danos morais contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O motivo é o ataque a ela com ofensa de cunho sexual e a reprodução do insulto em rede social do próprio presidente.

Também em decorrência de ataques de conotação sexual, os advogados de Patrícia iniciaram processos cíveis contra Hans River do Rio Nascimento, ex-funcionário de uma agência de disparos de mensagens em massa, e Allan dos Santos, apresentador do canal bolsonarista online Terça Livre, um dos veículos que integram o chamado gabinete do ódio.

O ponto de partida da ofensiva contra a repórter foram as declarações feitas por Hans River à CPMI das Fake News, no Congresso, em 11 de fevereiro. Hans trabalhou para a Yacows, empresa especializada em marketing digital e disparos de conteúdos nas redes sociais, durante a campanha eleitoral de 2018.

LEIA TAMBÉM:

Efeito Bolsonaro: Dólar vendido a R$ 4,79 nesta manhã; BC ‘torra’ reservas

Massacre de Paraisópolis completa 100 dias e sem justiça para as vítimas

Cenário sombrio na bolsa com coronavírus e queda no preço do petróleo

A empresa também fez o uso fraudulento de nomes e CPFs de idosos para registrar chips de celular e assim conseguir o disparo de lotes de mensagens em benefício da campanha bolsonarista.