Lojas da Havan podem ser fechadas pela PM a pedido do MP de SC

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) recomendou à Polícia Militar que feche ou interdite as lojas da Havan que desrespeitem o decreto do governador governador Carlos Moisés (PSL) determinando o fechamento do comércio.

Pelo decreto, somente os comércios essenciais, como supermercados, farmácias e postos de gasolina podem continuar funcionando. Mas a rede Havan pretendia manter abertos alguns setores em suas lojas.

​A recomendação, assinada pelo promotor Eduardo Paladino, coordenador do Centro de Apoio Operacional do Consumidor, e pela promotora Analú Librelato Longo, da 29ª Promotoria de Justiça da Capital, pede que a Polícia Militar atue mesmo que as lojas estejam abertas parcialmente, com apenas um setor em funcionamento.

LEIA TAMBÉM
Véio da Havan recebe “solidariedade” após publicar vídeo contra Bolsonaro

Véio da Havan admite que pode fechar as portas por causa de crise econômica

Rumores apontam que o ‘Véio da Havan’ abandonou Bolsonaro

Assista: Começou a ‘luta de classes’ por álcool gel no Brasil

O documento foi emitido na quinta-feira (19). Nesta sexta, todas as lojas da Havan estavam fechadas no Estado. O advogado Fábio Roberto de Souza, do Departamento Jurídico da rede, disse que a empresa não comentará a recomendação. Mas confirmou que todas as lojas e o Centro de Distribuição da Havan estão fechados em Santa Catarina.

Com informações do NSC.