Esquivel indica Morales ao Nobel da Paz

Compartilhe agora

O ex-presidente da Bolívia Evo Morales foi indicado nesta terça-feira (3) para concorrer ao Prêmio Nobel da Paz de 2020. A iniciativa partiu do argentino Adolfo Pérez Esquivel, vencedor do prêmio em 1980.

Esquivel afirmou em seu site que tomou a decisão de indicar o ex-presidente indígena porque ele “liderou um processo plurinacional, revolucionário e não violento, que marcou um antes e um depois na vida de bolivianas e bolivianos”.

LEIA TAMBÉM:
Regina Duarte pode desistir da Secretaria da Cultura após humilhação de Olavo de Carvalho

Oposição convoca resistência popular à agenda neoliberal e autoritária de Bolsonaro

O argentino acrescentou que “o modelo de país com igualdade, justiça social e soberania liderado por Morales deve ser reconhecido internacionalmente”.

Esquivel afirmou ainda que o ex-presidente boliviano representa a “resistência contra a nova Operação Condor”, que hoje realiza golpes (militares, midiáticos e judiciais) na América do Sul.

“A democracia está em risco em nossa região e não podemos ficar em silêncio. Não vamos permitir a ditadura cívico-militar boliviana, com seu ódio racial, nem a ação golpista da OEA, nas mãos de Luis Almagro (Secretário Geral da OEA), denunciou.

Queremos eleições livres e transparentes na Bolívia, o fim do exílio forçado de Evo Morales, e o reconhecimento internacional a esse povo plurinacional por seu exitoso modelo social de paz e não-violência”, completou.