Cartas de Bebianno podem ser abertas com sua morte, diz Veja

No dia 22 de fevereiro de 2019, a coluna Radar da Veja anotou que o ex-ministro Gustavo Bebianno, morto na manhã deste sábado (14), deixou cartas escritas e um pedido: ‘Se algo acontecer comigo, abram’.

Ex-presidente nacional do PSL, partido que elegeu o presidente, o ex-ministro divulgou áudios de conversas com o presidente Jair Bolsonaro.

De acordo a Veja, após trazer à tona os áudios, o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, enviou cartas para pessoas próximas diante da probabilidade de alguém lhe causar algum mal.

LEIA TAMBÉM
Gustavo Bebianno sobre Carlos Bolsonaro: “É um rapaz que tem problemas graves psicológicos”

Ex-ministro Bebianno prepara ‘livro-bomba’ sobre convívio com Bolsonaro

Aliado de Bolsonaro tentou sequestrar jornalista Lauro Jardim, diz Bebianno

“Se algo acontecer comigo, abram”, escreveu o ex-ministro para duas pessoas, segundo a publicação da Abril.

Bebianno foi exonerado oficialmente no dia 18 de fevereiro de 2019, após atrito com o filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL). Ligado ao partido que elegeu o presidente, o ex-ministro divulgou áudios de conversas com Jair Bolsonaro para provar que houve diálogo enquanto ele esteve no centro de uma polêmica sobre candidaturas laranjas do PSL em Pernambuco. Carlos havia chamado Bebianno de mentiroso e negou que eles tivesse conversado.

Devido a repercussão da nota, na época, o ex-ministro entrou em contato com a coluna para negar o conteúdo da nota. Porém, o Radar manteve a informação.

Compartilhe agora