Bolsonaro ‘murcha’ protestos e bolsominions pedem #DesculpeJairMasEuVou

Bolsonaro pediu para que bolsominions cancelem manifestação de domingo (15).
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) desencorajou manifestações no próximo domingo, 15 de março, de correligionários contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Bolsonaro disse que é desaconselhável aglomerações por causa do coronavírus, apesar de considerar os protestos “justos” e “legítimos”. Ele disse que, se houver contaminação em massa, pode faltar leitos nos hospitais.

Bolsonaro desmobilizou as manifestações em duas oportunidades, na noite desta quinta-feira (12). Por volta das 19h, durante sua tradicional live nas redes sociais, e num pronunciamento em rede de televisão que foi ao ar às 20h30.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro faz live mascarado e pede cancelamento de manifestação por causa do coronavírus; assista

#BolsonaroVirus derruba bolsa em 14,78% no dia que dólar chegou a R$ 5

País tem 73 casos de coronavírus confirmados e 907 suspeitos, diz Ministério da Saúde

Depois de o presidente ‘murchar’ os protestos contra o STF e o Congresso, desenxabidos, bolsominions pediram ‘desculpa’ e prometeram desobedecer Bolsonaro neste domingo indo às ruas.

O presidente Jair Bolsonaro jogou contra o movimento “Foda-se” mais por medo de um impeachment do que do coronavírus. No entanto, usando da esperteza, colocou o acordão que fez com o Congresso –acerca do orçamento impositivo– na conta do vírus e dos bolsominions.

A ducha de água fria nos manifestantes veio após Bolsonaro açulá-los diversas vezes para participarem dos protestos. O oportunismo do presidente da República também pode ser enxergado como “traição” pelos seus fiéis seguidores.