Bolsonaro faz provocação sobre 2018 e ‘tempestade perfeita’ se avizinha

Publicado em 10 março, 2020
Compartilhe agora!
Milton Alves: A fala de Bolsonaro, nos EUA, soou como mais uma irresponsável provocação golpista para açular as hordas da extrema-direita no dia 15 de março.

Por Milton Alves*

Foi uma segunda-feira (9) turbulenta, tensa, no Brasil e no mundo. As bolsas de valores despencaram, o preço internacional do petróleo desabou e o coronavírus se espalha cada vez mais.

Uma segunda-feira longa que reservava mais surpresas…

O presidente Jair Bolsonaro, de Miami, fez uma declaração surpreendente sobre as eleições presidenciais de 2018. Segundo Bolsonaro, houve fraude nas eleições e ele venceu o pleito ainda no primeiro turno. Ele assegurou ter provas e que vai apresentá-las.

A fala de Bolsonaro soa como mais uma irresponsável provocação golpista para açular as hordas da extrema-direita que preparam os atos do próximo domingo (15) contra o Congresso Nacional e o STF. Uma provocação política feita em um cenário de crise econômica global, que arrasta perigosamente o Brasil para olho do furacão de uma tempestade perfeita.

Nesta segunda, o dólar bateu em quase R$ 4,80, com o Banco Central (BC) torrando as reservas internacionais para tentar conter a moeda norte-americana. A bolsa de valores brasileira despencou 12%, recorrendo até ao expediente do circuit breaker.

LEIA TAMBÉM
Noblat sugere que TSE anule a eleição de Bolsonaro

Bolsonaro afirma que houve fraude na eleição presidencial de 2018

Bolsa cai 12% na maior quebra desde 1998 com FHC

O Banco Central foi obrigado a intervir no mercado duas vezes. Pela manhã de segunda, a autoridade monetária vendeu à vista US$ 3 bilhões das reservas internacionais. À tarde, vendeu mais US$ 465 milhões.

Além disso, a queda de braço entre a Rússia e a Arábia Saudita na disputa por preços do petróleo abalou as ações da Petrobras, a maior empresa brasileira capitalizada na bolsa. Os papéis ordinários da petroleira fecharam o dia com queda de 29,68%. As ações preferenciais caíram 29,7%. A estatal perdeu R$ 91 bilhões em valor de mercado nesta segunda fatídica.

Enquanto isso, Bolsonaro pintava o retrato da mulher no atelier de Romero de Britto em Miami e Paulo Guedes fingia serenidade em Brasília. Ou seja, estamos à mercê de dois pilotos irresponsáveis que já fracassaram na condução da economia nacional.

A desastrosa política econômica neoliberal do governo bolsonarista deixa o país extremamente vulnerável para enfrentar as turbulências da economia global. Especialistas de diversas escolas do pensamento econômico apontam para uma recessão na economia mundial igual ou superior a dos anos 2008 e 2009.

Uma tempestade perfeita se desenha no horizonte e o governo Bolsonaro pode apelar para a provocação e o golpismo como armas para encurralar a oposição democrática-popular e chantagear as débeis instituições do país. O momento exige uma resposta firme aos milicianos provocadores encastelados no Palácio do Planalto e nas estrebarias das casernas.

*Milton Alves é ativista político e social. Autor do livro ‘A Política Além da Notícia e a Guerra Declarada Contra Lula e o PT’.

Compartilhe agora!