Bloomberg: Real é a moeda com pior desempenho do mundo em 2020

Compartilhe agora

A escalada do Dólar é a desgraça do Real, que é pior moeda do mundo em 2020.
Primeiramente, “parabéns” ao presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes. Eles conseguiram em um ano quebrar a economia do Brasil e jogar no lixo o Real, criado em 1994, transformando-o na moeda com pior desempenho do mundo em 2020.

Para conter a alta do Ddólar, o Banco Central torrou US$ 3 bilhões em swaps cambiais nesta quinta-feira (5) em três leilões separados. Mesmo assim, a moeda americana bateu novo recorde fechando a cotação em R$ 4,651, mas o dólar turismo já custa R$ 4,82.

A contatação de que o Real tem o pior desempenho do mundo, neste ano, é da Bloomberg –uma empresa global de informações financeiras e notícias.

Sobre a supervalorização do Dólar, o ex-senador Roberto Requião (MDB-PR) ironizou os apoiadores da atual política econômica: “Alô burguesia alegre e alienada do meu Brasil. Quando viajarem para os Estados Unidos verifiquem que estará com vocês, sempre presente, o nosso ministro Guedes e o Dólar a cinco reais!”.

LEIA TAMBÉM
Custo da cesta básica aumenta em 10 capitais, aponta Dieese

PIB de 2020 pode ser pior que o 1,1% de 2019, alerta Marcio Pochmann

‘Pibinho’ de Bolsonaro e Guedes é fruto da falta de investimento

Segundo o serviço da Bloomberg, o ministro da Economia do Brasil, Paulo Guedes, atribuiu a queda do Real ao nível mais baixo de todos os tempos ao surto de coronavírus e admitiu que a moeda pode subir para 5 por Dólar. No entanto, como o Blog do Esmael já mostrou em 31 de outubro 2018, antes da posse de Bolsonaro, elevar o Dólar a R$ 5 já estava no script do “Posto Ipiranga”.

O ministro Paulo Guedes mente sobre o coronavírus e mente sobre a subida do Dólar. Ele esconde que seu projeto primário, a exportação de commodities e precarização da mão de obra, não vingou e afundou o país na recessão.

“Guedes disse que a sua política econômica é um sucesso. Vale examinar a variação de renda do ministro Guedes”, sugeriu Requião.

O Real caiu 13,3% este ano, o pior início desde 1999 e as taxas de juros SELIC caíram para um recorde de 4,25%, mas ainda pode cair ainda mais nesse quadro depressivo da economia brasileiro.

A Paulo Guedes resta um único caminho: pedir para sair já do cargo, antes que alguém o tire de lá.