miriam

Até Miriam Leitão, da Globo, ficou chocada com a MP 927

A MP 927, que suspendia trabalho e salários, não pegou de surpresa somente os trabalhadores –as maiores e mais diretas vítimas. A jornalista Miriam Leitão, da Globo, também se mostrou chocada com a medida do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A despeito de a Globo ser uma emissora escrota, que joga a favor do capital, Miriam Leitão não viu nenhuma proteção dos empregos como jurava Bolsonaro. Pelo contrário. Ela apontava um “privilégio” somente para os empresários.

“Era uma situação de muita insegurança para o trabalhador”, escreveu a colunista do Globo. “O recuo do presidente veio após forte reação do Congresso e da Justiça”, observou.

LEIA TAMBÉM
MP 927, a MP da Morte, é um dos itens mais pesquisados no Google

Justiça do Rio retoma investigação contra Flávio Bolsonaro

Coronavírus: Brasil tem 1.891 casos confirmados e 34 mortos

A Medida Provisória 927 foi produziu “unanimidade” contrária a Bolsonaro, por isso, seis horas depois de editada, ele recuou e revogou o art. 18 do dispositivo que previa suspensão do contrato de trabalho e os salários por quatro meses.

O presidente Bolsonaro quis engrupir a classe laboral dizendo que a MP 927 era para proteger os “empregos” durante a luta contra o coronavírus, no entanto, bastou algumas horas para ele ser desmascarado por amplos setores da sociedade.

Para os trabalhadores e o povo brasileiro ficou uma lição nesse episódio: Bolsonaro tem um lado, que é o lado dos empresários, dos endinheirados, dos barões da velha mídia, dos milicianos e dos banqueiros.