Ao vivo: Congresso aprecia vetos ao orçamento impositivo

Compartilhe agora

O Congresso Nacional realiza sessão conjunta nesta terça-feira (3) para analisar oito vetos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Dentre os quais o Veto 52, que torna obrigatória a execução das emendas orçamentárias do relator-geral do orçamento de 2020.

No plenário, a situação é tensa. O líder do PSL no Congresso, senador Major Olímpio, anunciou obstrução à votação dos vetos.

Major Olímpio acusa a sessão de hoje de “prostituição” e de “parlamentarismo branco” contra o regime presidencialista e a vontade dos eleitores que escolheram Bolsonaro com 57 milhões de votos.

LEIA TAMBÉM
Regina Duarte pode desistir da Secretaria da Cultura após humilhação de Olavo de Carvalho

Bolsonaro retira poderes de Guedes no manejo do Orçamento

Falências decretadas cresceram 43,9% no começo de 2020, diz Boa Vista SCPC

“É prostituição. Só estão discutindo o preço, se R$ 15 bilhões ou R$ 30 bilhões”, disparou o líder do PSL, ao defender a manutenção do veto número 52.

Em dezembro de 2019, Bolsonaro sancionou a lei 13.957/19, com mudanças na LDO. Mas o presidente barrou o dispositivo que dava prazo de 90 dias para o Poder Executivo executar as emendas ao orçamento sugeridas pelos parlamentares. Com o veto, o Palácio do Planalto recupera a prerrogativa de decidir o destino de R$ 30 bilhões em 2020.

A matéria chegou a ser pautada na última sessão do Congresso, no dia 12, mas teve a votação adiada para construção de um acordo. Na ocasião, as bancadas do Podemos, do PSL e da Rede entraram em obstrução, por não concordarem com a derrubada do veto.

Paralelamente, nas redes sociais, os robôs bolsonaristas pressionam pela manutenção dos vetos presidenciais. Eles levantaram no Twitter a hashtag #Veto52SimAberto, em apoio ao presidente Bolsonaro.