Witzel sugere impeachment de Bolsonaro por ataque à democracia

Compartilhe agora

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), disse nesta quinta-feira (27) que o presidente Bolsonaro deveria ser alvo de um processo de impeachment por convocar atos contra o Legislativo e o Judiciário.

Para ele, os protestos são “uma afronta à Constituição” e, se o presidente quisesse fazer algo em “caráter pessoal”, deveria renunciar ao cargo.

“A resposta jurídica para isso é o impeachment”.

LEIA TAMBÉM
Comissão de Direitos Humanos da Câmara repudia ameaça à democracia

Sérgio Moro já faz “test drive” para um novo golpe

Partidos de esquerda e movimentos sociais unificam agenda contra o golpe de Bolsonaro

“Quem exerce um cargo de mandatário do povo para poder criar dias melhores para a população, um diálogo respeitando as instituições, não pode ter um comportamento como esse. O que se espera do presidente é que ele respeite as instituições, é que ele dialogue com o Congresso, dialogue com os governadores.”

“Quer fazer em caráter privado? Renuncie à Presidência da República e pode fazer em caráter privado.”

“Enquanto ele for presidente, o que ele fala, o que ele faz, o que ele comunica, para quem quer que seja, é comunicação do presidente da República, e nós não podemos aceitar que um presidente da República, diante de uma movimento destrutivo da democracia, compartilhe esse tipo de vídeo.” Disse o governador.

Com informações da Folha de São Paulo