Regina Duarte começa a sofrer ‘bombardeio’ do clã Bolsonaro e de olavistas

Publicado em 11 fevereiro, 2020


A atriz Regina Duarte, que ainda não assumiu oficialmente a Secretaria Especial de Cultura do governo Bolsonaro, começa a receber pesado bombardeio do entorno do clã Bolsonaro e do grupo neofascista ligado ao jornalista Olavo de Carvalho. O motivo são os nomes indicados por ela para a pasta.

O clã Bolsonaro e os olavistas vetam o nome de Humberto Ferreira Braga para o comando da Funarte, que atualmente está sob controle de Dante Mantovani, um ex-aluno de Olavo de Carvalho.

Humberto Braga, que foi presidente da Funarte durante o governo golpista de Temer, é um dos motivos dos ataques a Regina Duarte. Ele é considerado de esquerda pelo presidente Bolsonaro. Outro nome vetado pelo governo de Bolsonaro, é o de Paulo Pélico, conhecido produtor da cena teatral paulista.

Segundo o blog Terça Livre, uma publicação chapa branca do bolsonarismo, o presidente está incomodado com alguns nomes que a atriz estaria escolhendo para sua equipe por serem “de esquerda”. O que pode acabar em “divórcio” entre Regina Duarte e Bolsonaro antes mesmo do “casamento”, diz o site.

LEIA TAMBÉM:

Regina Duarte e reverenda Jane ‘brigam’ pelo comando da Cultura

Zé de Abreu detona Regina Duarte: “Vagina não transforma fascista em ser humano”

Vexame de Regina Duarte com fotos de atores e atrizes só aumenta

Enquanto segue a “guerra de posições” pelo controle da Secretaria de Cultura, programas e o funcionamento ordinário da pasta estão paralisados. Até a emissão de passagens áreas é motivo de discórdia na Secretaria.

A demissão da reverenda Jane Silva, secretária-adjunta, também contribuiu para ampliar as críticas a Regina Duarte.