PSOL denuncia Paulo Guedes à Comissão de Ética da Presidência por ofensas de “parasita”

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados protocolou, nesta terça-feira (11), uma representação contra Paulo Guedes, Ministro da Economia, na Comissão de Ética da Presidência da República. Em evento na última semana, o braço-direito de Bolsonaro ofendeu milhares de servidores públicos ao chamá-los de “parasitas”.

Além da representação, o PSOL também solicita a convocação do ministro ao plenário da Câmara dos Deputados para que ele se explique sobre as declarações e as tentativas de “reforma administrativa”, que nada mais são do que a destruição das empresas públicas e a retirada de direitos de servidores.

LEIA TAMBÉM:
Enio Verri rechaça projeto de Bolsonaro que permite mineração em terras indígenas

Bate-boca na Câmara com Moro e Glauber Braga; assista

Lula é homenageado pela prefeitura de Roma

No pedido do PSOL, o partido argumenta que o ministro ofendeu diretamente a Constituição Federal (art. 37, § 4º) e a Lei de Improbidade Administrativa nº 8.429/1992. Paulo Guedes descumpriu qualquer preceito possível de moralidade administrativa.

O Código de Conduta da Alta Administração Federal também aponta que os padrões éticos exigidos dos ministros estão relacionados não só com sua atividade pública, mas também com suas atividades privadas.

As informações são do PSOL.

Compartilhe agora