Presidente da CPMI das Fake News quer a convocação de Carlos Bolsonaro

Compartilhe agora

O presidente da CPMI das Fake News, senador Ângelo Coronel (PSD-BA), afirmou que vai tentar pautar na próxima terça-feira (18) a convocação do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), para prestar depoimento ao colegiado.

“Chegou a hora. Vou propor que eles topem que votemos todos os 80 requerimentos que estão lá, incluindo os de Carlos Bolsonaro”, disse Ângelo Coronel em entrevista à revista Época.

LEIA TAMBÉM:
Acusação ‘sórdida’ contra jornalista é senha para ameaças, diz relatora da CPMI das Fake News

Bolsonaro volta a dar ‘banana’ para jornalistas

Aumento do desmatamento na Amazônia é resultado da ´permissão deliberada para devastar’, diz Gleisi

Na entrevista, o senador baiano também comentou sobre o seu pedido de reconvocação de Hans River do Rio Nascimento.

“Não pude tomar nenhuma medida contra o Hans naquele momento. Poderia prendê-lo por falso testemunho, o Código Penal é claro. O presidente da CPMI pode dar voz de prisão. Mas, para isso, deveria estar com provas em mãos de que ele mentiu. Só tive acesso aos diálogos dele com a jornalista após o termino da sessão, então não pude fazer nada na hora. Por isso uma reconvocação será fundamental. Para ele confirmar o que disse ou não”, afirmou.

Hans River, ex-funcionário da Yacows, empresa que realizou disparos de mensagens em massa pelo WhatsApp durante a eleição de 2018, prestou depoimento na CPMI das Fake News na última terça-feira (11). Na ocasião, ele voltou atrás em relação a uma entrevista que concedeu ao jornal Folha de S.Paulo e acusou a jornalista Patrícia Campos Melo de se insinuar sexualmente em troca de informações.