Partido Nacional Corinthiano, a ‘legenda da massa’, na pauta do TSE nesta semana

Compartilhe agora


O Partido Nacional Corinthiano (PNC) poderá ser a 34ª legenda política do país. Nesta quinta-feira (20), uma sessão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai avaliar a documentação apresentada para a criação do novo partido.

O julgamento vai discutir o uso para a criação da legenda de assinaturas de apoiamentos antigas, com mais de dois anos.

Segundo o secretário nacional da legenda, Marcelo Mourão, o partido já cumpriu todas as exigência da lei eleitoral sobre registro de novas agremiações políticas e que espera a aprovação do PNC.

“Nós temos dez estados homologados, o necessário são no mínimo nove, temos dez unidades da federação onde os diretórios estaduais e dois municipais estão homologados, nós temos mais de 490 mil assinaturas, tanto materiais quanto eletrônicas, todos os requisitos preenchidos. Desrespeitar a certificação de 496 mil assinaturas é muito mais do que desprestigiar o serviço do próprio poder judiciário eleitoral como um todo, seja do cartório ou tribunais regionais, significa desprestigiar o direito político de cada eleitor que manifestou sua intenção de apoiamento”, destaca Mourão.

LEIA TAMBÉM:

OAB aciona CNJ contra Marcelo Bretas por participação em eventos políticos com Bolsonaro

Flávio Dino quer Lula no ‘Caldeirão do Huck’ em 2022

Petroleiros farão ato no centro do Rio de Janeiro nesta terça-feira

O Partido Nacional Corinthiano não tem vínculos com Sport Club Corinthians Paulista e nem com a torcida organizada do time de futebol, Gaviões da Fiel, como admite o próprio secretário nacional da futura legenda.

O PNC reivindica a ideologia do ‘corinthianismo’, inspirado no movimento que ficou conhecido como democracia corinthiana, nos anos 1980.