Morre médico chinês que alertou sobre o coronavírus em Wuhan

Publicado em 6 fevereiro, 2020


O médico chinês Li Wenliang morreu nesta quinta-feira (6), aos 34 anos. Ele foi um dos primeiros profissionais de saúde que alertaram sobre o surto de coronavírus que estaria por vir na cidade de Wuhan, epicentro da pneumonia viral.

O oftalmologista contraiu o vírus enquanto tratava de pacientes com a enfermidade no Hospital Central de Wuhan, onde também permaneceu internado. De acordo com o jornal People’s Daily, diário do Comitê Central do Partido Comunista, a morte de Wenliang foi registrada às 2h58 do horário local (15h58 no horário de Brasília).

Ao longo do dia, a imprensa chinesa mudou a versão sobre o estado de saúde do Wenliang. Segundo o site da BBC, que ouviu médicos e jornalistas locais, após o anúncio da morte, feito pelo jornal estatal Global Times, o governo chinês teria interferido, instruindo os veículos a alterarem as informações para afirmar que o médico ainda estaria internado, recebendo tratamento.

Ainda segundo a BBC, as notícias sobre o estado de saúde do médico provacaram uma enorme onda de reação popular no Sina Weibo, o equivalente chinês do Twitter.

Wenliang passou a ser tratado como herói nacional após se tornar alvo da polícia chinesa, que o acusou de espalhar “informações falsas” sobre o alerta do novo coronavírus.

O médico foi obrigado a assinar um documento, de agentes do Escritório de Segurança Pública, era acusado de “divulgar informações falsas” que “causaram distúrbios graves à ordem social”.

LEIA TAMBÉM:

OMS fará nova reunião com especialistas para discutir coronavírus

Coronavírus: Senado aprova lei com medidas de controle da epidemia

Coronavírus: Asiáticos se mobilizam em campanha contra o preconceito

“Nós o alertamos solenemente: se você continuar sendo teimoso, com essa impertinência, e mantiver sua atividade ilegal, será levado à Justiça. Está entendido?”. Abaixo, há uma declaração à mão de Li: “Sim, entendi”.

No fim de janeiro, Wenliang publicou uma cópia da carta no site Weibo, relatando o ocorrido. As autoridades pediram desculpas ao oftalmologista, mas a retratação veio tarde demais.