Medicamento cubano produzido na China é adotado no combate ao coronavírus

O antiviral Interferón Alfa (IFNrec), um produto líder da biotecnologia de Cuba, é um dos medicamentos utilizados para enfrentar a epidemia de coronavírus, que já infectou mais de 30 mil pessoas na China, causando a morte de 636.

O medicamento foi escolhido pela Comissão Nacional de Saúde do país asiático “pelo seu potencial para curar a enfermidade respiratória”, declarou o embaixador cubano na China, Carlos Miguel Pereira. De forma massiva, o IFNrec vem sendo produzido a partir do dia 25 de janeiro na fábrica mista de ChangHeber, em Changchun, na província de Jilin.

“A planta chinesa-cubana Changheber produz desde o primeiro dia do Ano Novo Luar o Interferon Alpha com o uso de tecnologia cubana. A Comissão de Saúde da China selecionou nosso produto entre os utilizados na luta contra o coronavírus”, comemorou o presidente Miguel Días-Canel em sua conta no twitter.

LEIA TAMBÉM:
Cientistas da China identificam possível hospedeiro do coronavírus

OMS fará nova reunião com especialistas para discutir coronavírus

Saiba tudo sobre o coronavírus

Conforme os cientistas, entre outras enfermidades, o IfNrec está sendo aplicado contra infecções virais causadas pelo HIV, a papilomatose respiratória recorrente causada por papilomavírus humano, hepatites dos tipos B e C.

A ChangHeber, da mesma forma que a Biotech e a Changchun Heber Biological Technology, é resultado da cooperação entre Cuba e China na área da biotecnologia.

De acordo com as autoridades cubanas a Ilha não registra nenhum caso confirmado, ainda que existam pessoas isoladas com “sintomas dos que caracterizam a enfermidade”.

As informações são do Directoriocubano.