Greve dos petroleiros entra no 3º dia; veja onde parou contra a privatização


A greve nacional dos petroleiros contra privatização da Petrobras e as demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen) começou forte no sábado (1°) e já atinge 11 estados e 20 unidades operacionais do Sistema Petrobras no terceiro dia do movimento.

A greve por tempo indeterminado dos trabalhadores do Sistema Petrobrás exige o estabelecimento imediato de um processo de negociação com a empresa estatal, o cumprimento de fato do que prevê o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), com suspensão imediata das medidas unilaterais tomadas pela gestão que quer demitir mil petroleiros da Fafen-PR afetando a vida de milhares de pessoas.

LEIA TAMBÉM:

Gleisi apoia greve dos petroleiros e defende ‘resistência’ nas ruas

Pedro Bial apanha nas redes sociais por atacar ‘Democracia em Vertigem’

Reinaldo Azevedo ‘arrega’ para Bolsonaro durante visita na Band

Veja onde os petroleiros já começaram a greve:

Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco (Rnest)

Terminal Aquaviário de Suape, em Pernambuco

Fábrica de Lubrificantes do Nordeste, no Ceará (Lubnor)

Refinaria Duque de Caxias, no Rio de Janeiro (Reduc)

Refinaria Presidente Getúlio Vargas, no Paraná (Repar)

Fábrica de Xisto, no Paraná (SIX)

Terminal de Paranaguá, no Paraná (Tepar)

Terminal de São Francisco do Sul, em Santa Catarina (Tefran)

Refinaria de Paulínia, em São Paulo (Replan)

Refinaria de Capuava, em Mauá/São Paulo (Recap)

Refinaria Landulpho Alves, na Bahia (Rlam)

Refinaria de Manaus, no Amazonas (Reman)

Refinaria Gabriel Passos, em Minas Gerais (Regap)

Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), em Canoas

Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados, no Paraná (FafenPR/Ansa)

*Com informações da CUT