Enquanto Bolsonaro se cala, CNI protesta contra Donald Trump

Publicado em 12 fevereiro, 2020
Compartilhe agora!

Enquanto o presidente Bolsonaro age como um subalterno de Donald Trump, a Confederação Nacional da Indústria resolveu protestar contra medidas do presidente dos Estados Unidos.

A decisão do governo norte-americano de retirar o status de país em desenvolvimento do Brasil e de mais 24 países em investigações comerciais é negativa e ilegal, avaliou a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Em nota, a entidade afirma que a decisão contrariou regras da Organização Mundial do Comércio (OMC), por ter sido feita de forma unilateral.

A questão é que quem deveria dizer isso é Jair Bolsonaro. É para isso que o país tem (?) presidente.

LEIA TAMBÉM
Bernie Sanders vence primárias democratas em New Hampshire

Dólar fecha a R$ 4,326, no maior nível desde criação do real em 1994

Saiba por que a bolha está prestes a explodir no Brasil

A medida, na prática, corta privilégio em exportações de economias em desenvolvimento. Com a mudança, o governo de Donald Trump tem maior margem para aplicar barreiras comerciais, como sobretaxas.

Para a CNI, a decisão dos Estados Unidos reduz a importância do sistema multilateral de comércio. A confederação, que defende o fortalecimento da OMC, ressaltou que disputas comerciais não podem ser resolvidas isoladamente por um único país.

A CNI destacou que a decisão traz um alerta importante ao Brasil, ao aumentar o risco de que os Estados Unidos aprofundem a guerra comercial e promovam novas ações que podem prejudicar as exportações brasileiras.

Atualmente, os Estados Unidos impuseram barreiras às exportações de aço, de alumínio e de papel e celulose brasileiros.

As novas regras abrem brecha para que o governo norte-americano amplie a sobretarifa sobre esses produtos e anunciem medidas antissubsídio que podem afetar outros setores da economia brasileira.

Com informações da Agência Brasil.

Compartilhe agora!