Em carta, 20 governadores criticam declarações de Bolsonaro

Publicado em 17 fevereiro, 2020

Fórum de Governadores. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.
Vinte governadores divulgaram uma carta nesta segunda-feira (17) na qual defendem o pacto federativo e criticam declarações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

LEIA TAMBÉM:
PT x PT: Damous cobra explicações do governo da Bahia sobre execução de Adriano

.

Vem aí nova greve de caminhoneiros na quarta-feira, dia 19

Petroleiros farão ato no centro do Rio de Janeiro nesta terça-feira

A carta, divulgada pelo Fórum dos Governadores, começou a ser preparada no final de semana após Bolsonaro ter acusado a “PM da Bahia do PT” de uma “provável execução” do miliciano Adriano da Nóbrega, ex-capitão da PM morto em operação policial no último dia 9.

.

O presidente insinuou que pode ter havido queima de arquivo pela polícia da Bahia, o que foi rechaçado pelo governador do estado, Rui Costa (PT).

Na carta, os governadores também abordam declarações de Bolsonaro sobre a reforma tributária. Segundo eles, o presidente se referiu à reforma, “sem expressamente abordar o tema, mas apenas desafiando governadores a reduzir impostos vitais para a sobrevivência dos estados”.

A conduta do presidente, avaliam, não contribui “para a evolução da democracia no Brasil”.

.

A carta é assinada por Gladson Cameli (PP-AC), Renan Filho (MDB-AL), Waldez Góes (PDT-AP), Wilson Lima (PR-AM), Rui Costa (PT-BA), Camilo Santana (PT-CE), Ibaneis Rocha (MDB-DF), Renato Casagrande (PSB-ES), Flávio Dino (PCdoB-MA), Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), Romeu Zema (Novo-MG), Helder Barbalho (MDB-PA), João Azevêdo (Cidadania-PB), Paulo Câmara (PSB-PE), Wellington Dias (PT-PI), Wilson Witzel (PSC-RJ), Fátima Bezerra (PT-RN), Eduardo Leite (PSDB-RS), João Doria (PSDB-SP) e Belivaldo Chagas (PSD-SE).

Confira o texto na íntegra:

Recentes declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro, confrontando governadores, ora envolvendo a necessidade de reforma tributária, sem expressamente abordar o tema, mas apenas desafiando Governadores a reduzir impostos vitais para a sobrevivência dos Estados, ora se antecipando a investigações policiais para atribuir fatos graves à conduta das polícias e de seus Governadores, não contribuem para a evolução da democracia no Brasil.

.

É preciso observar os limites institucionais com a responsabilidade que nossos mandatos exigem. Equilíbrio, sensatez e diálogo para entendimentos na pauta de interesse do povo é o que a sociedade espera de nós.

Trabalhando unidos conseguiremos contribuir para melhorar a qualidade de vida dos brasileiros, pela redução da desigualdade social e pela busca por prosperidade econômica. Juntos podemos atuar pelo bem do Brasil e dos brasileiros.

Nesse sentido, convidamos o Senhor Presidente da República para o próximo Fórum Nacional de Governadores, a ser realizado em 14 de abril do ano em curso.

.

Com informações da Folha.