Doria escolhe advogado Elizeu Soares, do PCdoB, para Ouvidoria das Polícias

Compartilhe agora


O advogado Elizeu Soares Lopes foi escolhido pelo governador João Doria (PSDB) como novo ouvidor das Polícias de São Paulo. A nomeação de Elizeu, que é militante do PCdoB, foi publicada no Diário Oficial nesta quinta-feira (6). Ele assume o lugar de Benedito Mariano.

O nome é escolhido pelo governador após o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe) encaminhar uma lista com os três candidatos mais votados pelos conselheiros.

Elizeu foi secretário-adjunto da Secretária de Promoção da Igualdade Racial na gestão de Fernando Haddad. A pasta foi extinta quando João Doria (PSDB) assumiu a Prefeitura. O advogado também é membro do PCdoB e trabalhou no gabinete da deputada Leci Brandão (PCdoB) na Assembleia Legislativa.

Segundo o presidente do Condepe, Dimitri Salles, Mariano foi o candidato que recebeu o maior número de votos dos conselheiros. A legislação, porém, permite que o governador decida entre os três indicados.

“A gente festeja a escolha do governador, pois ela reconhece a atuação do Condepe como órgão legitimado para a escolha da lista tríplice. Na verdade, a legislação autoriza isso. O governador poderia escolher qualquer um deles”, completa Dimitri.

Dimitri revela que a expectativa natural era a da recondução de Mariano ao cargo, uma vez que é permitida a reeleição.

Entretanto, ele afirma a que, devido às críticas que o ouvidor fez ao governo, como no caso da ação da PM em Paraisópolis – que terminou com nove mortos – era esperado que Doria optasse por outro indicado.

“O Mariano causava muito incomodo, principalmente na Alesp, com os deputados da bancada da bala. Ele foi um ouvidor atuante, e extremamente competente. Todas as demandas que chegavam eram rapidamente resolvidas”, destaca Dimitri.

Ainda segundo o presidente do Conselho, Mariano teve nove votos – foi indicado por todos os conselheiros (cada conselheiro pode indicar três candidatos). Cheila Olalla recebeu sete votos e Elizeu, cinco.

O cargo de ouvidor, desde a criação da Ouvidoria, nunca foi ocupado por uma mulher. As eleições para o posto ocorreram no final de 2019 e tiveram quatro candidatos.

*As informações são do G1-SP