Coração de pedra, Bolsonaro deixa de 1 milhão na fila do Bolsa Família

Compartilhe agora

Bolsonaro coraçãoO presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em um ano, diminuiu o benefício do Bolsa Família para 1 milhão de famílias de regiões mais pobres do País.

Segundo levantamento da Folha de S. Paulo em 200 municípios brasileiros, houve um recuo do programa em uma de cada três cidades pobres no País.

Bolsonaro congelou o Bolsa Família e há cinco meses não liberou auxílios às famílias cuja renda está abaixo da situação de pobreza, de acordo com dados oficiais de novembro de 2019.

Para economizar e formar o superávit primário para o pagamento da dívida interna (banqueiros), o governo federal passou a controlar o acesso ao programa que desde 2007 não tinha fila.

LEIA TAMBÉM
PT, ano 40: Uma invenção do povo brasileiro; por Milton Alves

Oscar 2020: American Factory leva o prêmio de melhor documentário

PT e Requião irão separados na disputa pela Prefeitura de Curitiba

Em janeiro, cerca 1 milhão de famílias aguardavam uma resposta do Ministério da Cidadania por uma ajuda.

O programa Bolsa Família consiste no atendimento de famílias com filhos de zero a 17 anos, que vivem em condições de extrema pobreza com renda per capita de até R$ 89 mensais.

A faixa de pobreza consiste em rendimento per capita entre R$ 89,01 e R$ 178.

O benefício médio do Bolsa Família é de R$ 191.