Bolsonaro quer acabar com o SUS; Bernie Sanders propõe criação de um SUS

Compartilhe agora

Enquanto o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido), caminha para destruir o Sistema Único de Saúde (SUS), os Estados Unidos discutem a criação de seu SUS.

A proposta é o senador Bernie Sanders, virtual candidato do Partido Democrata, que irá disputar a Presidência da República com o atual Donald Trump (Partido Republicano) no dia 3 de novembro.

“Na América, você não deve sofrer ruína financeira porque ficou doente”, disse neste sábado (22) o democrata ao lembrar que as contas com saúde são as maiores responsáveis pelas falências nos EUA.

O Blog do Esmael reproduz abaixo, em forma de artigo, a proposta de Bernie para a criação do SUS americano. Segundo ele, mais de 30 milhões de americanos ainda não têm seguro de saúde e ainda mais estão com seguro insuficiente.

“Os americanos têm piores resultados em saúde e maior taxa de mortalidade infantil do que os países que gastam muito menos em assistência médica”, afirma o senador democrata. “Nosso povo merece melhor”, arremata.

No Brasil, a gangue de Bolsonaro e Paulo Guedes querem desmantelar o SUS e abrir [ainda mais] o mercado da saúde para as máfias e laboratórios farmacêuticos.

Apesar de maltratado, o SUS brasileiro é o maior plano de saúde pública do mundo. Ele foi inspirado no modelo britânico.

Bernie Sanders, nos EUA, promete derrotar junto com o povo os lobbies gigantes de seguros farmacêuticos e de saúde.

PS: comparar Bolsonaro com Sanders é muita sacanagem com o veterano senador americano.

LEIA TAMBÉM
Bernie Sanders lidera com 55,7% caucus em Nevada

WikiLeaks: Em Londres, centenas marcham contra extradição de Assange

Bolsonaro, Moro e Guedes são alvos de foliões no Carnaval 2020

A seguir, leia a íntegra da proposta do Medicare For All:

Bernie Sanders: Cuidados de saúde como um direito humano – Medicare For All

Dizemos às empresas de seguro de saúde privadas: gostem ou não, os Estados Unidos se unirão a todos os outros países importantes do mundo e garantirão assistência médica a todas as pessoas como um direito. Todos os americanos têm o direito de ir ao médico quando estão doentes e não irem à falência depois de ficarem no hospital.

Pontos-chave

  • Criar um programa nacional de seguro de saúde do Medicare for All, pagador único, para fornecer a todos os EUA cobertura abrangente de assistência médica, gratuitamente no ponto de serviço.
  • Sem redes, sem prêmios, sem franquias, sem copays, sem contas-surpresa.
  • A cobertura do Medicare será ampliada e aprimorada para incluir: atendimento odontológico, auditivo, visual e de longo prazo em casa e na comunidade, serviços para pacientes externos e externos, tratamento para saúde mental e abuso de substâncias, cuidados reprodutivos e para maternidade, medicamentos prescritos e muito mais.
  • Parar a indústria farmacêutica de roubar o povo americano, certificando-se de que ninguém na América pague mais de US $ 200 por ano pelo medicamento de que precisa, limitando o que os americanos pagam pelos medicamentos prescritos pelo Medicare for All.

Detalhes do Medicare for All
Hoje, mais de 30 milhões de americanos ainda não têm seguro de saúde e ainda mais estão com seguro insuficiente. Mesmo para quem tem seguro, os custos são tão altos que as contas médicas são a principal causa de falência nos Estados Unidos. Incrivelmente, gastamos significativamente mais do nosso PIB nacional nesse sistema inadequado de assistência médica – muito mais por pessoa do que qualquer outro país importante. E, apesar disso, os americanos têm piores resultados em saúde e maior taxa de mortalidade infantil do que os países que gastam muito menos em assistência médica. Nosso povo merece melhor.

Deveríamos gastar dinheiro com médicos, enfermeiros, especialistas em saúde mental, dentistas e outros profissionais que prestam serviços às pessoas e melhoram suas vidas. Devemos investir no desenvolvimento de novos medicamentos e tecnologias que curem doenças e aliviem a dor – não desperdiçando centenas de bilhões de dólares por ano em lucros, enormes pacotes de remuneração de executivos e custos administrativos escandalosos.

Os lobbies gigantes de seguros farmacêuticos e de saúde gastaram bilhões de dólares nas últimas décadas para garantir que seus lucros venham antes da saúde do povo americano. Nós devemos derrotá-los juntos. Que significa:

  • Juntar-se a todos os outros países importantes da Terra e garantir assistência médica a todas as pessoas como um direito, não um privilégio, por meio de um programa do Medicare for for all, pagador único.

E para baixar os preços dos medicamentos prescritos agora, precisamos:

  • Permitir que o Medicare negocie com as grandes empresas farmacêuticas para baixar os preços dos medicamentos com a Lei de Negociação de Preços de Medicamentos do Medicare.
  • Permitir que pacientes, farmacêuticos e atacadistas comprem medicamentos prescritos de baixo custo do Canadá e de outros países industrializados com a Lei de Importação de Medicamentos com Prescrição Acessível e Segura.
  • Reduzir os preços dos medicamentos prescritos pela metade , com a Lei de Alívio dos Preços dos Medicamentos com Receita Médica, atrelando os preços ao preço médio dos medicamentos em cinco países principais: Canadá, Reino Unido, França, Alemanha e Japão.

*Bernie Sanders, senador pelo estado de Vermont, virtual candidato pelo Partido Democrata à Presidência da República.