Apagão no INSS: 108 mil mulheres têm o salário maternidade atrasado

Publicado em 11 fevereiro, 2020
Compartilhe agora!

Mais de 108 mil mulheres estão com o salário maternidade atrasado aguardando análise há mais de 45 dias. É o apagão do INSS de Bolsonaro.

O salário maternidade é pago para as mulheres durante a licença maternidade; período em que as mulheres se dedicam aos primeiros cuidados com os recém nascidos. É uma fase difícil, principalmente para os menos favorecidos, pois há muitos gastos com higiene e saúde, tanto dos bebês, como das mães.

O atendimento no INSS passa por um apagão falta de funcionários. Entre 2016 e 2019, o quadro caiu de 33 mil para 23 mil.

LEIA TAMBÉM
Mesmo com fila, novo dirigente acha que INSS tem servidores de mais

Governo Bolsonaro sabia do apagão que viria no INSS há 6 meses

Perpétua propõe concurso emergencial no lugar de militares no INSS

O governo Bolsonaro cogitou chamar militares da reserva para trabalhar e ajudar a diminuir a fila. Vários setores da sociedade alertaram que seria melhor convocar servidores aposentados do INSS. O governo chegou a prometer uma Medida Provisória para convocar servidores; mas a promessa foi esquecida.

Com informações do Agora São Paulo.

Compartilhe agora!