Xico Graziano: “coronavírus é invenção do jornalismo catastrófico”

O ex-deputado Xico Graziano, engenheiro agrônomo que deixou o PSDB para apoiar a candidatura de Jair Bolsonaro, afirmou nas redes sociais que a epidemia de coronavírus é invenção do jornalismo catastrófico.

“Foi assim com a gripe aviária e outras, que matariam milhões. Não vivemos mais na época da peste negra”, afirmou o tucano-bolsonarista, que foi fundador do PSDB.

A declaração de Graziano, que foi presidente do INCRA no governo Fernando Henrique Cardoso (FHC), gerou fortes reações no Twitter.

“Sim, também a terra é plana, a mulher nasceu da costela do Adão, vacinas matam e desonerar a folha gera empregos!”, ironizou o jornalista curitibano Nelo Merlotti.

Mas há quem apoie o negacionismo de Graziano.

“Também acredito nisso [que é invenção da mídia]. Já fomos “ameaçados” por tanta coisa: ebola, gripe suína e aviária etc. Essa gente vive de catástrofe em catástrofe. Nem ligo mais”, escreveu uma internauta.

Pelo sim pelo não, a China informou hoje (27) que já são 81 mortos pelo coronavírus. O país asiático não quer pagar para ver, por isso tomou medidas drásticas como colocar em quarentena uma cidade inteira de 11,08 milhões (Wuhan, a mais atingida).

No total, são 2.761 casos, sendo 2.744 na China e 17 nos territórios de Hong Kong, Macau e Taiwan.

O coronavírus é real e mata, mas, ao invés de a mídia brasileira esclarecer, faz sensacionalismo.

Se o Brasil precisar de plano de emergência, a exemplo da China, não consegue porque não tem recursos disponíveis.

A Globo e demais veículos da velha mídia apoiaram o congelamento por 20 anos dos investimentos na saúde, por meio da Emenda Constitucional 95, que compromete a segurança da população local.

Os cortes nas áreas sociais –que também atingiram a educação– visam garantir superavit primária para o pagamento da dívida pública aos bancos.

LEIA TAMBÉM
Número de mortos por coronavírus da China chega a 81 e governo prolonga feriado

Coronavírus: Autoridades procuram família brasileira nas Filipinas

Coronavírus vira sensacionalismo na Globo