Roberto Alvim jura que não citou o nazista Joseph Goebbels

Apesar da enorme semelhança, que pode até ser chamada de plágio; o secretário de Cultura de Bolsonaro, Roberto Alvim, nega a inspiração nazista em seu discurso.

Alvim foi ao Facebook dizer que apenas “houve uma coincidência com UMA frase de um discurso de Goebbles”.

Vejamos: ao anunciar o Prêmio Nacional das Artes, Alvim disse:

“A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada”.

E, abaixo, a frase de Goebbels:

“A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”.

E a seguir a postagem de Alvim:

Não é coincidência, é inspiração, é ideologia nazista.

LEIA TAMBÉM
Sakamoto: “Tá liberado chamar o governo Bolsonaro de nazista”

Governo Bolsonaro incorpora o Nazismo na Cultura e nas Artes; assista

Bolsonaro e Alvim anunciam editais para reescrever a História e a Cultura do Brasil