Partidos vão à PGR contra Carla Zambelli por compra de votos


O PT, PSOL e PCdoB acionaram a Procuradoria-geral da República (PGR) contra a deputada federal Carla Zambellii (PSL-SP) por “admitir” que houve a compra de votos no processo de aprovação da Reforma da Previdência no ano passado. Em um áudio, a parlamentar bolsonarista afirmou que “todos os deputados que votaram a favor da Reforma da Previdência tiveram alguma verba”.

A declaração da deputada foi transmitida via mensagem de áudio enviada a Marcos Palermo, Secretário de Saúde de São Carlos (interior de SP), e não deixa dúvidas de que o governo federal criou um balcão de negócios para trocar emendas por votos na aprovação do temido projeto – foram cerca de R$ 1,13 bilhão liberados.

LEIA TAMBÉM:

Glenn Greenwald pede à Justiça que rejeite denúncia do MPF

Governador Ibaneis do DF veta a Praça Marielle Franco

Promotoria pede júri popular a réus de caso Marielle

“No momento que o país vive um momento de debate político acirrado, o Governo Federal utilizou-se de métodos ilícitos para conseguir os votos que restavam para aprovação da PEC nº 06/2019”, afirma trecho do documento assinado por 28 parlamentares da oposição.

O texto ainda reitera que “é papel do Ministério Público investigar e representar os interesses indisponíveis da população e defender a Democracia, a Constituição e o devido processo legal” e solicita à PGR que, “verificadas as ilegalidades no descumprimento dos ditames legais/constitucionais, que sejam tomadas as providências administrativas, civis ou penais cabíveis”.

A deputada Carla Zambelli é conhecida também por sua intensa atividade de propagação de fake news nas redes sociais.