No Rio, artistas e movimentos em defesa do histórico Teatro Casa Grande

Publicado em 24 janeiro, 2020
Compartilhe agora!


Artistas, movimentos sociais e políticos de esquerda organizam na próxima segunda-feira (27) o “Abraço da Resistência” em defesa do histórico Teatro Casa Grande. O espaço cultural, situado no bairro Leblon, zona sul do Rio, está ameaçado pelo governo de Wilson Witzel, que pretende cassar a cessão de uso do terreno onde o teatro está instalado há 54 anos.

O ato, que terá início às 17:30, também fará um abaixo-assinado que será entregue ao governador Wilson Witzel na audiência que os gestores do Casa Grande estão solicitando junto à autoridade pública.

O teatro Casa Grande, inaugurado em 1966, se transformou em um centro de debates democráticos. No seu palco, em 1978, o recém surgido líder sindical do ABC paulista Luiz Inácio da Silva se apresentou ao público pela primeira vez no Rio de Janeiro.

Em 1979, o espaço sediou as articulações para a formação do Comitê Brasileiro da Anistia.

LEIA TAMBÉM:

Festival na Suécia critica Bolsonaro: “Inimigo número 1 do cinema”

MPF denuncia ex-agente da ditadura e legistas por morte de militante do PCB

Bolsonaro será processado por crime de racismo contra indígenas

Segundo a jornalista Maria Luiza Franco Busse, o Casa Grande “foi palco também do anúncio do fim da censura no Brasil, em um encontro que reuniu mais de 800 pessoas, em 1985. Nesse encontro uma comissão de intelectuais, presidida por Pompeu de Souza, da ABI, apresentou um documento reivindicando o fim da censura em letras de músicas, teatros, cinemas e peças de propaganda. De posse do documento, o então ministro da Justiça do governo de José Sarney, Fernando Lyra, anunciou simbolicamente o fim da censura na chamada Nova República”.

*Com informações do site ABI

Compartilhe agora!