mandetta

Ministro da Saúde discorda de Damares sobre abstinência sexual como política pública

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), discordou publicamente da ministra da Família dos Bolsonaro, Damares Alves. Segundo ele, a abstinência sexual não pode ser a única política pública de prevenção de doenças e gravidez precoce.

Para ele, a pregação de que os adolescentes devem pensar duas vezes antes de transar é ineficaz.

“A mensagem do comportamento responsável é válida. É uma vida, é o afastamento da escola. Mas não se pode minimizar a discussão e dar ênfase só para isso. É um problema complexo. Tenho apostado muito em informar as consequências, porque acredito que esse seja um ponto essencial para a conscientização”. Disse o ministro para a coluna Painel da Folha de São Paulo.

Damares diz que busca um ‘príncipe encantado’, mas prega abstinência sexual

Damares faz seminário em defesa da abstinência sexual na adolescência

Damares quer Carnaval sem o ‘rala e rola’

Damares prepara o lançamento de sua campanha pela abstinência sexual no próximo dia 3 de fevereiro, no início do mês do Carnaval. A campanha do governo bolsonarista visa a faixa etária de 10 a 18 anos e pretende “combater a iniciação sexual precoce”.

O sentido da campanha indica e reforça os preconceitos mais primitivos contra a sexualidade, apontam os críticos da iniciativa.

Após o início do projeto, os ministérios devem construir a “Política Nacional de Prevenção ao Risco da Atividade Sexual Precoce”.

Com a discordância de Mandetta, resta saber se a abstinência permanece como política de orientação não-sexual. .

Com informações da Folha de São Paulo